SpaceX revela mais sobre o Starship, que levará até 100 pessoas a outros mundos

Por Daniele Cavalcante | 30 de Setembro de 2019 às 21h20
The Verge
Tudo sobre

SpaceX

Saiba tudo sobre SpaceX

Ver mais

Na noite do último sábado (28), Elon Musk fez uma apresentação sobre o desenvolvimento do Starship, o foguete de próxima geração da SpaceX, projetado para transportar cargas e até cem passageiros para lugares como a Lua e Marte. Exibindo um protótipo do veículo gigante, Musk prometeu que a nave poderia voar para a órbita do Planeta Vermelho já em seis meses, e levar seus primeiros passageiros ao espaço no próximo ano.

A apresentação foi bastante simbólica porque ocorreu no 11º aniversário do primeiro voo em órbita da empresa, realizado com o Falcon 1, veículo que estava ao lado do enorme protótipo do Starship. Também estava em exibição o Raptor, um motor de foguete de combustão em etapas, alimentado por metano criogênico e oxigênio líquido.

Foto: The Verge

Além de elogiar a equipe da SpaceX diante de cerca de 200 funcionários, convidados e repórteres, Musk também demonstrou muito otimismo. Ele informou que o Mark 1, nome do protótipo do Starship, fará um voo suborbital de alta altitude em um futuro próximo com lançamento no Texas. "Essa coisa vai decolar, voar a 65.000 pés, cerca de 20 quilômetros, e voltar e pousar, em cerca de um ou dois meses", disse ele.

Após o voo de teste, a empresa poderá dar o próximo passo com um voo orbital, segundo o CEO da SpaceX. Isso aconteceria com um novo protótipo, o Mark 3, cuja construção deve começar em cerca de um mês. Se você sentiu falta do número dois nessa história, é porque o Mark 2 já está sendo construído pela empresa na Flórida.

O foguete de teste apresentado desta vez tem mais de 50 metros de altura e conta com três motores Raptor conectados à sua base. Seu objetivo é testar as capacidades de lançamento e pouso que o veículo final da Starship precisará para ser um sistema totalmente reutilizável.

A visão de longo prazo de Musk é tornar a humanidade “multiplanetária”. “Acho que realmente devemos fazer o possível para nos tornarmos uma espécie multiplanetária e estender a consciência além da Terra, e devemos fazê-lo agora”, afirmou ao final de sua palestra de 40 minutos. Ele quer tornar o preço das viagens a Marte em cerca de US$ 200 mil por pessoa, em vez de US$ 10 bilhões como aconteceria com a tecnologia atualmente disponível.

Foto: The Verge

Musk disse que a SpaceX está gastando apenas 5% de seus recursos gerais no Starship. "Nossos recursos estão predominantemente no Falcon e Dragon", disse ele. Também falou sobre o uso de aço inoxidável para a “pele” do veículo. "O aço inoxidável é de longe a melhor decisão de design que tomamos", afirmou. É que esse material possui propriedades térmicas excepcionais, não se torna quebradiço em temperaturas extremamente baixas e não derrete até atingir 1.500 °C. Por isso a SpaceX vê muitas vantagens nele, embora seja mais pesado que os compostos usados ​​na maioria das naves espaciais. Além disso, é mais barato. “Honestamente, estou apaixonado por aço”, disse Musk.

Por fim, o empresário falou sobre as vantagens do veículo reutilizável. "Quase todos os transportes a motor - seja um avião, um carro, um cavalo ou uma bicicleta - são reutilizáveis", disse à CNN no sábado em uma entrevista. "Se você pudesse usar um carro apenas uma vez, pouquíssimas pessoas poderiam se dar ao luxo de dirigir um carro. Portanto, o avanço crítico necessário é um foguete orbital rapidamente reutilizável. Esse é o Santo Graal do espaço".

Fonte: The Verge, Space Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.