Programa espacial chinês prevê mais ações em Marte, além de asteroides e Júpiter

Programa espacial chinês prevê mais ações em Marte, além de asteroides e Júpiter

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 14 de Junho de 2021 às 15h40
NASA/JPL-Caltech

A China segue a todo vapor com o planejamento dos próximos passos de seu programa espacial. Segundo um oficial da China National Space Administration (CNSA), a agência espacial chinesa, o país planeja explorar asteroides, o sistema joviano, coletar amostras de Marte e explorar a região polar da Lua nos próximos anos. As informações foram reveladas durante uma coletiva de imprensa, realizada em Pequim.

Xu Hongliang, representante da CNSA, anunciou que, por volta do ano de 2025, a China deverá lançar uma única missão para coletar amostras de um asteroide próximo da Terra e também explorar um cometa. Além disso, o país planeja lançar as missões lunares Chang'e-6 e Chang'e-7 em algum momento nos próximos cinco anos com o objetivo de explorar o ambiente e os recursos lunares, além de coletar amostras do polo sul do nosso satélite natural. A missão lunar mais recente do país foi a Chang’e 5, que trouxe, no fim do ano passado, as primeiras amostras da Lua desde 1976. 

A cápsula da missão Chang'e 5 com as amostras lunares (Imagem: Reprodução/Our Space/ Wang Jiangbo)

Ele comentou também a construção da estação espacial Tiangong-3, a terceira desenvolvida pela China. O módulo central do novo laboratório orbital foi lançado em abril e, em breve, deve receber os primeiros taikonautas. Segundo Xu, a construção da estação deverá ser finalizada até o ano que vem, e os taikonautas vão poder ficar por lá durante longos períodos para realizar experimentos científicos. "Devemos coordenar a ciência, tecnologia e aplicações espaciais de acordo com os princípios de ser tecnicamente realizável, financeiramente viável e proporcionar contribuições científicas", disse. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Por fim, o planejamento inclui a criação de veículos pesados de lançamento, sistemas de transporte espacial reutilizáveis e internet via satélite. A menção à coleta de amostras do Planeta Vermelho vem após a China divulgar, na última sexta-feira (11), novas imagens feitas pelo rover Zhurong, que mostram um pouco da paisagem marciana, o próprio rover e sua plataforma de pouso e mais, o que mostra também o sucesso da primeira missão de exploração de Marte lançada pela China. 

"Retrato de família" em Marte, que mostra o rover Zhurong e a plataforma de pouso (Imagem: Reprodução/CNSA via AP)

O oficial afirmou que o país testemunhou os avanços feitos pela missão Tianwen-1, que vão desde a finalização do voo interplanetário até o sucesso do pouso no planeta vizinho, e disse ainda que a conclusão dessas etapas indicam que a China alcançou a vanguarda mundial na exploração de Marte. De fato, o país é experiente com pousos na Lua, mas a Tianwen-1 foi a primeira missão lançada rumo a outro planeta. Assim, esta é a primeira vez que a China está realizando atividades de monitoramento e comunicação a mais de 400 milhões de km de distância, obtendo dados científicos de Marte.

Fonte: SpaceDaily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.