Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Meteoritos de asteroide que explodiu na Alemanha são encontrados

Por| Editado por Luciana Zaramela | 02 de Fevereiro de 2024 às 12h42

Link copiado!

Cevin Dettlaff/Museum für Naturkunde
Cevin Dettlaff/Museum für Naturkunde

Os fragmentos do asteroide 2024 BX1 parecem ter sido encontrados. A rocha espacial explodiu sobre a Alemanha em 21 de janeiro, e no dia seguinte, caçadores de meteoros exploraram a região em busca de pedacinhos do objeto. As buscas deram certo: eles encontraram meteoritos que parecem pertencer ao asteroide, que pode ser um tipo raro de rocha espacial. 

Os meteoritos são fragmentos de objetos como cometas e asteroides que resistiram à passagem pela atmosfera e chegaram à superfície. Dois foram encontrados pelos estudantes Dominik Dieter e Cara Weihe; um pesa 5,3 gramas, e o outro, 3,1 gramas. Outras amostras foram identificadas em outros dias — algumas delas, inclusive, foram encontradas pelo cientista de meteoros Peter Jenniskens.

Continua após a publicidade

Denis Vida, pesquisador de pós-doutorado em física de meteoritos da Universidade Western, explicou que 2024 BX 1 é um asteroide do tipo Apollo, categoria que inclui parte dos asteroides próximos da Terra. Ele tinha magnitude de 32,8, sendo um dos asteroides mais escuros já observados.

Se for rochoso, é possível que pese cerca de duas toneladas, mas suas características ainda não foram definidas com precisão. Segundo Vida, é possível até que 2024 BX 1 seja uma aubrita, um tipo de rocha espacial bastante incomum — se os meteoritos forem confirmados como aubrita, vão representar apenas 1% dos meteoritos conhecidos. 

A origem das aubritas é incerta, mas é possível que esteja relacionada ao asteroide 3103 Eger e até ao planeta Mercúrio. "Como se trata de uma queda recente, que permite uma análise laboratorial rápida e uma órbita precisa, estou confiante de que essa rocha vai nos deixar um passo mais perto de entender a origem das aubritas, e vai ajudar a juntar as peças da história da formação do Sistema Solar”.

Franck Marchis, cientista planetário, sugeriu que o asteroide tenha outra origem. "As avaliações iniciais indicam que são 'eucrites', pedaços do grande [asteroide] Vesta, no Cinturão de Asteroides", escreveu em uma publicação no X, o antigo Twitter. Um meteorito caiu no estado de Minas Gerais em 2020, e análises mostraram que veio de Vesta.

Continua após a publicidade

Mais análises são necessárias até as rochas serem classificadas oficialmente, mas Jenniskens já suspeita que sejam bastante especiais. “O próximo passo na pesquisa é entender o que exatamente estamos olhando aqui”, comentou ele.

Fonte: Space.comMuseum für Naturkunde