InSight: instrumento é enterrado com sucesso e missão marciana prossegue

Por Danielle Cassita | 10 de Agosto de 2020 às 18h50
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Um novo relatório do Centro Aeroespacial Alemão (DLR) trouxe boas notícias sobre o desempenho da missão InSight, da NASA: após mais de um ano tentando enterrar o instrumento HP3 da sonda na superfície marciana, ele finalmente está enterrado na areia sem encontrar obstáculos. Assim, é possível que a InSight consiga finalizar a pesquisa que busca dados sobre a temperatura interna do Planeta Vermelho.

O módulo de pouso da InSight teve um ótimo desempenho na investigação dos “marsquakes” e sons dos ventos do Planeta Vermelho, mas o grande desafio tem sido o instrumento apelidado de “toupeira”. Em junho, a equipe decidiu parar a perfuração para analisar o estado do dispositivo. Tilman Spohn, principal investigador do experimento e ex-diretor do DLR, explica que o processo foi retomado, e a equipe notou sinais que indicavam que o instrumento poderia estar atingindo o fundo da cavidade. Ali, eles tiveram uma ótima surpresa: na verdade, o instrumento estava coberto de areia.

Isso é importante, pois, justamente se estiver completamente coberto de areia, o dispositivo pode conseguir a fricção necessária para alcançar a profundidade de um pouco mais de 3 metros. Além disso, eles notaram um aumento nos valores das medidas térmicas da toupeira até o regolito quando comparados aos dados anteriores. Trata-se de outro acontecimento positivo, porque isso indica que os contatos térmicos e mecânicos apresentaram melhora.

Na imagem, a cavidade está tão preenchida que o instrumento ficou coberto (Imagem: NASA/JPL-Caltech)

Em seguida, a equipe discutiu quais seriam os próximos passos: alguns membros pensaram em preencher a cavidade para empurrar a concha até a superfície para gerar força, que seria transmitida à toupeira pela areia. Outros pensaram em afundar o instrumento em mais alguns centímetros. No fim, a equipe decidiu realizar um teste de raspagem para verificar como a concha ficaria na cavidade - que, aliás, foi um sucesso, e a areia preencheu a cavidade quase completamente. Agora, é esperado que o instrumento siga escavando o solo por conta própria.

O principal objetivo deste experimento é determinar o estado térmico do interior de Marte por meio de medidas de fluxo de calor feitas abaixo da superfície. Esses dados serão importantes também para que os astrônomos compreendam melhor o desenvolvimento da Terra em seu período inicial.

Fonte: DLR, Futurism

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.