Helicóptero Ingenuity faz seu 21º voo em Marte e segue em ótimo estado

Helicóptero Ingenuity faz seu 21º voo em Marte e segue em ótimo estado

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 14 de Março de 2022 às 10h45
NASA

O helicóptero Ingenuity chegou à marca de 21 voos realizados em Marte. De acordo com informações dos oficiais da NASA, o Ingenuity completou este 21º voo com sucesso, deslocando-se por 370 m à velocidade de 3,85 m/s. Agora, a aeronave já soma mais de 4,6 km percorridos desde seu primeiro voo, conduzido em abril do ano passado, e segue em bom estado.

O mais novo voo do pequeno helicóptero foi anunciado pelos oficiais da NASA em uma publicação no Twitter. “O #MarsHelicopter não pode ser parado! O Ingenuity completou com sucesso seu 21º voo no Planeta Vermelho”, escreveram, postando também uma breve animação do helicóptero deixando o solo. Segundo a publicação, a aeronave permaneceu no ar durante 129,2 segundos.

Ao longo de seus 21 voos no planeta, o Ingenuity se manteve no ar por mais de 38 minutos no total e viajou por mais de 4,6 quilômetros, uma distância maior até mesmo que aquela percorrida pelo rover Perseverance, de 4,39 km. De acordo com Matt Golombek, pesquisador e cientista do Laboratório de Propulsão a Jato na NASA, o Ingenuity segue em bom estado. “Até agora, não encontramos degradação ou a perda de nada no helicóptero”, disse. “Está como novo”.

Desenvolvido como uma demonstração de tecnologia, o esperado era que o Ingenuity completasse somente cinco voos ao longo de um mês. Entretanto, a pequena aeronave mostrou um desempenho surpreendente, e a NASA decidiu estender sua missão. Desde então, o Ingenuity vem atuando como um “parceiro” do rover Perseverance, examinando o terreno das áreas à frente do veículo para identificar possíveis obstáculos.

Durante o primeiro ano em Marte, o Ingenuity e o Perseverance exploraram as áreas a sul e sudoeste do local em que pousaram, na cratera Jezero. Agora, a dupla está seguindo viagem de volta ao ponto em que pousaram, a caminho de uma parte acessível do antigo delta do rio que correu por lá no passado, o qual pode ter preservado vestígios deixados por seres vivos, caso tenham existido.

Fonte: NASA (Twitter); Via: Space.com, SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.