Fotos mostram desgaste nas rodas do Curiosity após 9 anos explorando Marte

Fotos mostram desgaste nas rodas do Curiosity após 9 anos explorando Marte

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 08 de Fevereiro de 2022 às 18h10
NASA/JPL-Caltech/MSSS

Após nove anos de exploração em Marte, as rodas do rover Curiosity vêm mostrando sinais evidentes de desgaste. O longo período de exploração do Planeta Vermelho já resultou em rachaduras, fragmentação e até mesmo em buracos nas rodas do explorador robótico. Felizmente, a equipe da missão está ciente do problema e adotou algumas medidas, que devem ajudar o Curiosity a seguir ativo por mais algum tempo.

Em janeiro, a NASA publicou algumas novas imagens produzidas pelas câmeras do veículo. O material chamou a atenção nas redes sociais em função do desgaste que as rodas mostraram nas novas fotos — em uma delas, vemos vários furos e estruturas em formas de garras que aparecem quebradas, junto de rachaduras e metal torcido.

Detalhe de uma das rodas do Curiosity, que mostra os danos acumulados ao longo dos anos em Marte (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/MSSS)

Apesar de o estado das rodas não aparentar ser o melhor, saiba que a equipe do Curiosity está ciente disso e já implementou medidas de mitigação para estender a vida útil delas. Prova disso está na fala de Andrew Good, representante do Laboratório de Propulsão a Jato, na NASA. Segundo ele, o rover vinha produzindo imagens de suas rodas a cada 500 m, mas aumentou a distância necessária para as imagens para 1 km.

Essa mudança pode ser entendida como um bom sinal, que mostra que as iniciativas de proteção aplicadas estão funcionando. “A odometria atual prevista deve ser o suficiente para dar apoio ao Curiosity durante o restante de sua missão”, explicou ele. Além disso, ele pontuou também que não é de hoje que o desgaste e corrosão das rodas mostra uma aparência pior do que a situação real.

Imagem de uma das rodas feita no fim de janeiro de 2022 (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech/MSSS)

O Curiosity pousou no interior da cratera Gale em 2012, com o objetivo de descobrir se a região poderia ter abrigado formas de vida microbianas. Desde então, o rover já viajou por mais de 20 km em Marte, atravessando terrenos de relevo diversos, sendo que grande parte deles é acidentada e rochosa. Assim, é perfeitamente natural que as rodas dele estejam desgastadas.

A experiência com as rodas do Curiosity ajudou os cientistas da NASA a estabelecer detalhes importantes do projeto do rover Perseverance, que pousou na cratera Jezero em fevereiro do ano passado. Por isso, o novo veículo tem rodas com diâmetro levemente maior em comparação àquelas de seu antecessor, equipadas também com o dobro de estruturas em formas de degraus em curvas mais suaves.

Fonte: CNetSpace.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.