Publicidade

Destaque da NASA: Via Láctea e aurora são foto astronômica do dia

Por| Editado por Patricia Gnipper | 12 de Dezembro de 2023 às 13h15

Link copiado!

Giulio Cobianchi
Giulio Cobianchi

A foto destacada pela NASA nesta terça-feira (12) no site Astronomy Picture of the Day mostra, de uma só vez, a Via Láctea e uma bela aurora boreal. Elas aparecem juntas na imagem porque esta é uma composição digital produzida a partir de 20 fotos tiradas nas ilhas Lofoten, na Noruega, em 2022.

Na foto abaixo, a faixa da Via Láctea aparece no lado esquerdo com suas inúmeras estrelas e nebulosas. Já no lado direito, está a aurora com tons de verde e vermelho, vindos das interações entre partículas eletricamente carregadas e a atmosfera da Terra.

Continua após a publicidade

Se você observar bem, vai encontrar outros objetos interessantes na foto — como Marte, que aparece no lado esquerdo com brilho alaranjado. Já o aglomerado estelar das Plêiades foi registrado um pouco acima do Planeta Vermelho.

A galáxia de Andrômeda completa a cena, e pode ser encontrada abaixo do arco da Via Láctea. Por fim, no lado direito da imagem, estão as estrelas que formam a constelação a Ursa Maior, visível no hemisfério norte.

Saiba mais sobre a Via Láctea

A foto mostra uma parte do disco da Via Láctea, galáxia do tipo espiral. Ela é o lar de centenas de bilhões de estrelas, mas é difícil saber a quantidade exata delas; alguns astrônomos estimam que existam 100 bilhões, mas outros sugerem algo mais próximo dos 300 bilhões.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

O disco da nossa galáxia mede aproximadamente 100 mil anos-luz de diâmetro e tem 1.000 anos-luz de espessura. Assim como a Terra orbita o Sol, nosso Sistema Solar orbita o centro galáctico a impressionantes 828 mil km/h, levando cerca de 250 milhões de anos para completar uma só volta.

Hoje, sabemos que a Via Láctea faz parte do chamado Grupo Local de galáxias, formado por mais de 30 membros. Um deles é a galáxia Andrômeda, que vai colidir com a nossa em alguns bilhões de anos. É provável que os braços espirais da Via Láctea sejam destruídos durante o processo.

Fonte: APOD