Cratera de impacto na Groenlândia é muito mais antiga do que se pensava

Cratera de impacto na Groenlândia é muito mais antiga do que se pensava

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 10 de Março de 2022 às 19h30
NASA

Uma cratera na Groenlândia parece ter sido formada há 58 milhões de anos. Antes, pensava-se que ela foi criada pelo impacto de um asteroide com aproximadamente 1 km, que teria atingido a região há aproximadamente 12 mil anos. Agora, um novo estudo conduzido por cientistas do Instituto GLOBE, Museu Sueco de História Natural e Museu de História Natural da Dinamarca mostra que, na verdade, a formação é mais antiga do que se pensava.

Conhecida como “Cratera Hiawatha”, a formação em questão foi descoberta em 2015 com a ajuda de radares. Estes dispositivos disparam ondas de rádio para a superfície da Terra e, depois, essas ondas retornam e encontram um receptor. Com os radares, é possível mapear a topografia do que há sob o gelo da Groenlândia. Foi assim que os cientistas descobriram uma grande depressão escondida sob a camada congelada.

Representação do asteroide responsável pela cratera de Hiawatha se rompendo na atmosfera, antes de atingir a Terra (Imagem: Reprodução/Natural History Museum of Denmark, Cryospheric Sciences Lab, NASA Goddard Space Flight Center)

Observações posteriores confirmaram a existência dela, com bordas elevadas e picos centrais, e os cientistas suspeitaram se tratar de uma cratera de impacto com 31 km de diâmetro, mas a idade da formação continuou como um objeto de especulações. A pesquisa original trabalhou com evidências indiretas para chegar a um limite superior da idade dela com base na estrutura do gelo e dos arredores e, na época, os autores concluíram que a formação era jovem.

Para solucionar o mistério da idade dela, os cientistas do Museu de História Natural da Dinamarca e do Instituto GLOBE coletaram amostras de grãos de areia e rochas da cratera. Depois, eles aqueceram o material com gás argônio, liberado pelos grãos quando o evento ocorreu. Enquanto isso, os pesquisadores do Museu Sueco de História Natural coletaram outras amostras da cratera e determinaram a idade delas através da datação do zircão mineral.

Os cristais do zircão mineral registram eventos que ocorreram na história da Terra (Imagem: Reprodução/University of Copenhagen)

No fim, as duas equipes descobriram que ela é muito mais antiga do que se pensava — mais especificamente, que tem 58 milhões de anos. “Estou convencido de que determinamos a idade real da cratera, muito mais antiga do que várias pessoas pensaram”, disse Michael Storey, do museu dinamarquês. Portanto, a cratera foi formada na Época do Paleoceno Tardio, em um período muito anterior à Groenlândia ser coberta por gelo, quando havia uma floresta tropical temperada por lá.

Quando o asteroide responsável pela cratera caiu, atingiu o local com uma força alguns milhões de vezes maior que aquela de uma bomba atômica. O impacto provavelmente teria destruído parte da Groenlândia, mas os cientistas não sabem ao certo quais seriam os outros efeitos. Como a cratera é pequena em termos de escala global, podem não ter sido grandes. Mesmo assim, os autores esperam continuar investigando-a para entender os efeitos de sua formação em escalas locais e globais.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Science Advances.

Fonte: Science Advances; Via: Bad Astronomy, University of Copenhagen, Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.