Câmera do telescópio Hubble volta a funcionar após correção de software

Câmera do telescópio Hubble volta a funcionar após correção de software

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 15 de Março de 2021 às 12h20
NASA

Na semana passada, o telescópio espacial Hubble apresentou uma falha de software, que acabou causando alguns outros problemas e exigiu que o telescópio entrasse em modo de segurança. Durante o ocorrido, o instrumento Wide Field Camera 3 (WFC3) sofreu um erro inesperado enquanto acontecia a recuperação do modo em questão, mas, de acordo com informações da NASA, o instrumento voltou à ativa durante a noite deste sábado (13).

O erro de software aconteceu na última segunda-feira (9) com a instalação recente de uma melhoria de sistema, que deveria ajudar a compensar a flutuação de um dos giroscópios usados para medir a velocidade de rotação do telescópio e que o auxiliam a se posicionar para focar nos objetos desejados. Contudo, a melhoria não tinha permissão para inserir dados em uma localização específica da memória do computador, e isso causou um problema que exigiu que o Hubble entrasse em modo de segurança.

No fim, os controladores da missão desativaram o software, e o telescópio retomou as operações. Entretanto, o modo de segurança trouxe mais alguns problemas nos componentes do Hubble: durante as operações feitas neste modo, o instrumento Wide Field Camera 3 (WFC3) foi desativado e, na recuperação do sistema, o WFC 3 apresentou uma leitura de energia levemente abaixo do nível normal. Com essa nova anomalia, os processos do instrumento foram suspensos, e o WFC 3 acabou entrando em um modo de emergência interno para os controladores da missão verificarem o que aconteceu.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Após analisar o ocorrido, as equipes constataram que os níveis de voltagem do WFC 3 foram caindo de pouco a pouco conforme os componentes elétricos do satélite envelheceram. Além disso, durante o modo de segurança, o hardware ficou desligado e, portanto, mais frio. No fim das contas, as temperaturas mais baixas que o normal, aliadas à energia que os componentes exigem para retomar as operações, foram os fatores que contribuíram para essa pequena flutuação elétrica, que resultou na suspensão das atividades do WFC 3.

Outras análises mostraram que seria seguro reduzir um pouco o limite para evitar suspensões no futuro, além de ser possível já recuperar o instrumento para seguir com os estudos científicos. Agora, o WFC 3 já foi recuperado e deve passar por algumas atividades de calibração e pré-observações ainda nesta semana. Lançado em 1990, o telescópio Hubble já chega a mais de 30 anos de atividades, o dobro do tempo que foi previsto inicialmente para seu funcionamento. Por isso, estes ocorridos, quando somados a outros "sustos" que já ocorreram, sinalizam a fadiga do telescópio e de seus instrumentos.

Fonte: Hubble

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.