Scarlett Johansson processa Disney por lançamento de Viúva Negra no streaming

Scarlett Johansson processa Disney por lançamento de Viúva Negra no streaming

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 29 de Julho de 2021 às 16h58
Divulgação / Disney

Parte importante do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) nos últimos dez anos, a atriz Scarlett Johansson está processando a Disney. A razão da ação judicial é o lançamento de Viúva Negra simultaneamente nos cinemas e no Disney+.

De acordo com o The Wall Street Journal, o processo de quebra de contrato foi registrado na Suprema Corte de Los Angeles nesta quinta-feira (29). A atriz alega que a empresa desrespeitou os termos que havia sido assinado e que, por causa disso, o salário que ela recebeu pelo filme ficou bem abaixo do que havia sido acordado.

Atriz estima prejuízo de US$ 50 milhões por causa do lançamento no Disney+ (Imagem: Divulgação/Disney)

Tudo isso porque a Disney lançou o longa também em seu serviço de streaming no último dia 9 de julho, mesma data em que ele chegou às salas de cinema de todo o mundo. Segundo Scarlett Johannson, o seu contrato garantia um lançamento exclusivo no cinema, uma vez que parte do seu cachê estava atrelado ao desempenho da bilheteria do longa. Dessa forma, como boa parte do público acompanhou a estreia pelo serviço digital, ela teve seus ganhos prejudicados. A estimativa é que os prejuízos sejam superiores a US$ 50 milhões — cerca de R$ 253 milhões na cotação atual. A Disney não comentou o assunto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vale lembrar que a companhia optou por fazer o lançamento híbrido de Viúva Negra após um ano de adiamentos causados pela pandemia da COVID-19. A aventura solo da personagem estava prevista para chegar às telonas no início de 2020, mas o fechamento dos cinemas em todo o mundo e as políticas de isolamento social forçaram a Casa do Mickey a rever sua estratégia — o incluiu, no fim das contas, algumas quebras de contrato.

Advogados da atriz alegam que tentaram renegociar o contrato, mas não obtiveram retorno (Imagem: Divulgação/Disney)

No texto protocolado com o processo, a defesa de Johansson afirma que a Disney intencionalmente quebrou o contrato para impedir que a atriz tivesse direito a todos os valores que ela tinha negociado antes com a Marvel. Os advogados ainda afirmam que seus representantes chegaram a procurar a empresa para renegociar os termos após o anúncio de que Viúva Negra seria lançado também no streaming, mas que não obtiveram respostas.

Em seu fim de semana de estreia, Viúva Negra alcançou a marca de R$ 80 milhões em bilheteria somente nos EUA e mais US$ 78 milhões internacionalmente. Já no Premier Access do Disney+, o longa acumulou US$ 60 milhões — e o contrato da atriz não leva em consideração nenhum centavo desse montante. Para piorar a situação, as semanas seguintes não foram nada positivas para o longa, que teve uma queda expressiva de público que, segundo alguns analistas, é reflexo desse lançamento simultâneo com o streaming.

Indústria em alerta

E o fato de Scarlett Johansson ter processado a Disney por essa razão coloca outros estúdios em alerta. Isso porque é a primeira vez que vemos uma ação parecida ser movida na Justiça ao mesmo tempo em que, por causa da pandemia, mais e mais empresas estão apostando nesse tipo de estreia híbrida para não ver seus ganhos minguarem.

Processo é o primeiro do tipo em Hollywood, mas advogados duvidam que será o último (Imagem: Divulgação/Disney)

A Warner, por exemplo, foi uma das que mais apostou no lançamento simultâneo até como forma de impulsionar a HBO Max. Nos EUA, filmes como Space Jam: Um Novo Legado, Godzilla vs Kong e Mortal Kombat chegaram ao streaming no mesmo dia que às salas de cinema. E isso deve se repetir em O Esquadrão Suicida na próxima semana.

O problema é que, assim como Scarlett Johansson, outros atores também têm contratos em que o seu salário está atrelado à bilheteria de cinema dos longas; então, da mesma forma, esses artistas podem seguir o exemplo da Viúva Negra e entrarem com processos semelhantes. Tanto que, de acordo com alguns advogados, devemos ver mais ações parecidas surgindo no futuro breve.

Fonte: WSJ

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.