Warner confirma que lançamentos em 2022 serão exclusivamente nos cinemas

Por Beatriz Vaccari | Editado por Jones Oliveira | 09 de Abril de 2021 às 22h40

Godzilla vs Kong já é considerado um sucesso de bilheterias mesmo estando há pouco tempo em cartaz. O longa chegou a ultrapassar o lucro de Mulher-Maravilha 1984 em apenas cinco dias e isso não passou despercebido para a Warner Bros., cuja decisão que determinava o lançamento simultâneo de seus próximos filmes acabou sendo repensada após a grande audiência teatral no meio de uma pandemia.

Em dezembro, quando a empresa bateu o martelo nas estreias híbridas tanto nas telonas quanto no HBO Max, diversos cineastas e estrelas reprovaram a decisão, sem contar que não havia uma previsão exata de quando os cinemas abririam as portas novamente. Cinco meses depois, os Estados Unidos já bate a marca de 3 milhões de vacinados por dia, introduzindo uma outra realidade ao país e, consequentemente, aos estúdios.

(Imagem: Divulgação / Warner Bros.)

O CEO da WarnerMedia, Jason Kilar, declarou recentemente no podcast Recode Media da Vox que os grandes filmes da Warner previstos para estrearem em 2022 serão exibidos exclusivamente nos cinemas antes de chegarem ao streaming. "Eu acho que é muito justo dizer que um grande, você sabe, digamos um grande filme DC. É muito justo dizer que isso iria exclusivamente para os cinemas primeiro, e então estrearia no streaming depois", declarou.

O novo posicionamento dos estúdios pode presumir que The Batman, Adão Negro e The Flash, por exemplo, serão lançados na grande tela antes de serem disponibilizados no streaming. A decisão pode impactar também outros longas que contam com altas expectativas do público, como Space Jam 2 e Duna.

A fala complementa uma informação dada há apenas algumas semanas, em que a Cineworld anunciou que os filmes da WarnerMedia teriam um intervalo de 45 dias de exclusividade na rede de cinemas da Regal Entertainment Group a partir de 2022, mas de acordo com Kilar, isso pode valer para todas as salas a partir do ano que vem.

(Imagem: Divulgação / Warner Bros.)

"Não há dúvida de que estava turbulento no início de dezembro do ano passado", revelou Kilar quando a decisão da Warner foi anunciada juntamente ao lançamento de Mulher-Maravilha 1984. "Se eu tivesse a chance de fazer tudo de novo, acho muito justo dizer que levaríamos mais alguns dias para ver se poderíamos ter tido ainda mais conversas do que fomos capazes de ter."

É precipitado, no entanto, afirmar que estreias simultâneas ou até mesmo pagas como o Premier Access do Disney+ possam desaparecer após o fim do período pandêmico no mundo. As empresas de entretenimento ainda modificam seus calendários de estreias para se adequar ao momento, algumas vendendo seus títulos para o streaming ou adiando as datas no calendário.

(Imagem: Divulgação / Warner Bros.)

Sabe-se, por exemplo, que a Disney dedicará algumas estreias apenas para o streaming da empresa, como aconteceu com Soul e acontecerá com Luca, Pinóquio e Peter Pan. Porém, audiências como a de Godzilla vs Kong mostram que o mundo está preparado para voltar às salas de cinema assim que a pandemia de COVID-19 estiver mais controlada, sendo um alívio tanto para as bilheterias das redes quanto para os próprios cineastas.

Fonte: BGR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.