Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Quem é Sanguinário, o protagonista de Esquadrão Suicida que já venceu o Superman

Por| Editado por Jones Oliveira | 22 de Junho de 2021 às 16h35

Link copiado!

Reprodução/Warner Bros
Reprodução/Warner Bros
Tudo sobre Warner Bros

O novo trailer de Esquadrão Suicida, dirigido por James Gunn, deu um destaque maior ao personagem Sanguinário, vivido aqui pelo ator Idris Elba. Embora nada tenha sido dito oficialmente, a impressão deixada pelas novas cenas é de que ele deve ser o protagonista da história, com seu drama familiar e histórico criminoso, e que os demais membros do grupo vão orbitar à sua volta — mais ou menos como aconteceu com o Pistoleiro no filme de 2016.

O grande ponto é que, como boa parte da nova formação do supertime de vilões da DC, praticamente ninguém sabe exatamente quem é o personagem. Da mesma forma que fez com os Guardiões da Galáxia na Marvel, o diretor James Gunn foi revirar histórias em quadrinhos antigas para encontrar nomes obscuros que fazem parte do terceiro ou quarto escalão de bandidos da editora.

Com exceção da Arlequina e talvez do Tubarão-Rei, todo o elenco do novo Esquadrão Suicida é formado por desconhecidos do público — o que inclui aí o próprio Sanguinário. No entanto, um detalhe no trailer chamou a atenção e mostra que o personagem é de um pedigree um pouco maior do que seus colegas de time: ele conseguiu mandar o Superman para a UTI após acertá-lo com uma bala de kryptonita e é justamente por isso que Amanda Waller (Viola Davis) o quer em seu time.

Continua após a publicidade

A premissa é boa, mas o que a gente realmente sabe do personagem além disso? Apesar de Gunn ter um histórico de não respeitar muito o que as HQs já apresentaram, uma boa folheada em histórias antigas pode indicar o que mais a gente pode esperar do anti-herói de Idris Elba.

O Sanguinário nos quadrinhos

Sanguinário surgiu nas HQs em 1987, mais especificamente em Superman #4 como um vilão do Homem de Aço. Ele foi criado por John Byrne logo após a saga Crise nas Infinitas Terras, que deu nova vida a todo o universo DC e apresentou uma série de novos conceitos. No caso do Último Filho de Krypton, uma dessas ideias era desse inimigo que tentava derrotar o herói com armamento pesado e munição de kryptonita.

Apesar de premissa bastante simples, ele logo passou a ser mais desenvolvido e a ganhar um passado um pouco mais complexo. Foi assim que conhecemos Robert DuBois, um jovem que é convocado para lutar na Guerra do Vietnã, mas que foge para o Canadá para não ter que servir ao exército. Com isso, seu irmão vai em seu lugar e acaba perdendo braços e pernas na guerra.

Continua após a publicidade

A culpa faz com que Robert praticamente enlouqueça a ponto de passar mais de uma década em hospitais psiquiátricos. A partir disso, ele se tornou alguém muito instável e violento. E é ao ver essa pessoa psicologicamente fragilizada e com incríveis habilidades de batalha que Lex Luthor decide mover seus pauzinhos para poder matar o Superman de uma vez. O plano do vilão careca é dar a DuBois uma geringonça que teleporta qualquer tipo de arma que ele imaginar e fazê-lo ir atrás do Homem de Aço.

O problema é que o plano não vai bem como Luthor imaginava e Robert DuBois surta. Adotando o nome de Sanguinário — Bloodsport, no original em inglês —, ele passa a se ver como um veterano do Vietnã e dá início a um massacre em Metropolis, matando dezenas de civis só para atrair o Superman. E é nesse primeiro confronto que o herói é atingido no peito por uma bala de kryptonita e cai derrotado.

Embora o novo Esquadrão Suicida não adapte essa história para os cinemas, é quase certo que James Gunn vai referenciá-la no roteiro. Vimos a menção ao Superman hospitalizado no trailer, então podemos esperar pelo menos mais algum tipo de desenvolvimento desse passado — ainda que seja pouco provável que vejamos alguma cena com Henry Cavill.

Continua após a publicidade

Voltando às HQs, após o herói se recuperar do ferimento, os dois personagens voltam a se enfrentar e, desta vez, o Superman vence a luta ao usar sua visão de calor para impedir que o Sanguinário consiga teleportar mais munição. E a batalha só termina quando Jimmy Olsen encontra o irmão do vilão e faz com que Robert DuBois tenha um colapso mental e pare de lutar, sendo preso em seguida.

Outros Sanguinários

Robert DuBois não foi o único Sanguinário a aparecer nas HQs. Em 1993, por exemplo, a DC Comics apresentou Alex Trent, um supremacista branco que tinha como alvo as minorias de Metropolis. Assim como o vilão original, ele também usava um dispositivo que teleportava armamentos de acordo com a sua vontade.

Continua após a publicidade

Já em 2006, a editora criou uma terceira versão do Sanguinário, desta vez sem trazer uma identidade por trás do uniforme. E essa encarnação mais recente do personagem tinha o diferencial de invocar seus equipamentos de outra dimensão, usando isso a seu favor em uma nova caçada ao Superman.

Antes do cinema

Idris Elba também não vai ser o primeiro ator a viver o Sanguinário. O personagem apareceu no primeiro episódio da terceira temporada de Supergirl, sendo retratado como um ex-militar que agia como mercenário e que foi contratado para realizar um atentado em National City, sendo impedido pela heroína.

Continua após a publicidade

A diferença é que, na TV, ele não tinha nenhum dispositivo que lhe dava armas e nem balas de kryptonita. No máximo, conseguiu neutralizar temporariamente a Supergirl com um bastão eletrificado. Já em Stargirl, vemos uma versão mais "velha guarda" do personagem, interpretado por Neil Hopkins com o "Mestre dos Esportes".

O que esperar do filme?

Tudo o que a gente sabe sobre o Sanguinário no novo Esquadrão Suicida é o que o mais recente trailer mostrou, então nem há muito material para comparar com as HQs. Sabemos que ele conseguiu derrotar o Superman uma vez e que sua fama vem desse episódio, mas nada além disso.

Continua após a publicidade

A única grande exceção em sua história e que se difere bastante dos gibis é a existência de uma filha, que vai ser esse elemento de humanização do vilão ao invés do irmão. Não foi explicado o porquê da mudança, mas podemos especular que os produtores do filme optaram por isso para criar um paralelo com o Pistoleiro, vivido por Will Smith no filme de 2016, que também tinha na figura da filha esse freio moral.