Publicidade

Max chega ao Brasil com uma plataforma melhor, mas sem grandes atrativos

Por| Editado por Durval Ramos | 27 de Fevereiro de 2024 às 17h40

Link copiado!

Reprodução/Max
Reprodução/Max

A chegada da Max ao Brasil foi muito alardeada principalmente pelas mudanças que a nova versão do streaming da Warner Bros Discovery traria para os planos de assinatura do serviço. Porém, agora com a Max rodando a todo vapor, é possível notar melhorias sensíveis na experiência do usuário, uma nova proposta de valor para o streaming da WBD, mas também um problema que poderia ser percebido há muito tempo.

Após um período de transição nos Estados Unidos, a América Latina é o primeiro território internacional a receber a nova versão do serviço de streaming da Warner Bros Discovery, que une os conteúdos anteriormente disponibilizados na HBO Max e Discovery+. Muito se fala sobre os valores do streaming, mas na prática, será que ele vale tanto assim?

Continua após a publicidade

Melhorias na experiência do usuário

Assim que a Max foi liberada, já era esperado que o processo de transição fosse cheio de tropeços, com servidores apresentando erros e contas não sendo reconhecidas após as mudanças. Surpreendentemente, durante os nossos testes, foi possível acessar o serviço com bastante facilidade, tanto em aparelhos móveis quanto em computadores, apps mobile, de TVs Samsung e consoles de videogame, como o PS5.

A única falha é o fato de, por um período, o aplicativo da HBO Max continuar ativo, o que causou certa confusão em alguns assinantes. Inicialmente, a ideia é que o aplicativo seria automaticamente atualizado para Max, algo que não aconteceu. Assinantes precisaram acessar novamente a loja de apps de sua plataforma favorita para baixar o serviço.

Continua após a publicidade

Isso não chega a ser um problema absurdo, principalmente se considerarmos o fato de o novo aplicativo utilizar as informações de login do antigo, mas ainda é uma etapa que poderia ser facilmente contornada pela empresa — ou melhor divulgada antes.

À primeira vista, por estar tudo embaralhado na página inicial, um público que deseja apenas encontrar séries da HBO ou do Adult Swim pode achar tudo muito confuso, tendo que caçar esse conteúdo no meio de reality shows de reformas de casa ou sobrevivência no meio do mato.

Existe uma área na barra superior da Max que destaca a HBO, o que já é um começo, mas talvez se as séries e filmes fossem mostradas de uma maneira menos amontoada, com hubs que levam o conteúdo que o assinante quer ver com facilidade, fosse melhor. Como o conteúdo Discovery é o principal destaque do lançamento, faria sentido trazer um atalho já na tela inicial para esse tipo de conteúdo, o que não existe. Há apenas um botão encontrado apenas após muita busca.

Apesar de ter um visual bastante similar ao da HBO Max, a Max tem uma navegação bem mais rápida e responsiva em todas as plataformas testadas, algo que já tínhamos ideia quando conversamos com Juan Solá, líder de streaming LATAM na Warner Bros. Discovery. Solá comentou que a estrutura da Max seria bem mais robusta, até mesmo para suportar a nova leva de conteúdo que seria incluído no serviço.

Continua após a publicidade

Ele ainda traz alguns pequenos engasgos, esperados nesse tipo de serviço, mas é possível dizer que a navegação dele é bem melhor que a da HBO Max. Até funções que já estavam presentes, como a de gerenciamento de perfis, está bastante rápida e intuitiva, além de ter alguns elementos atualizados, como os avatares de propriedades da Discovery, como Shark Week.

A ideia de múltiplos perfis e uma curadoria mais apropriada para cada um deles também é bem-vinda, ainda que nesse momento inicial, não parece funcionar tão bem como poderia. Um desafio que a plataforma pode enfrentar é exatamente equilibrar esses conteúdos e como eles são destacados no serviço.

Continua após a publicidade

A reprodução dos conteúdos, ponto principal da experiência, também está bem melhor. Em nossos testes, tanto vendo séries quanto filmes, a reprodução não apresentou engasgos ou demora no carregamento de legendas, além de ser possível sair de uma plataforma e continuar a reprodução em outra sem qualquer tipo de problema.

Isso era uma verdadeira loteria com a HBO Max, já que o filme ou episódio simplesmente poderia começar de onde você parou, somente do início ou, em alguns casos, de um momento completamente aleatório.

Mais conteúdo, mas ainda tudo igual

A avalanche de novo conteúdo que os assinantes da HBO Max vão perceber com a chegada da Max é vinda da Discovery. Séries como Largados e Pelados Brasil, Irmãos à Obra, Kitchen Nightmares, entre outras, aparecem em destaque logo na página inicial.

Continua após a publicidade

É visível uma vontade da Warner Bros Discovery de misturar todos os conteúdos, sendo até um pouco difícil você olhar para a tela inicial da Max e encontrar alguns filmes, caso tenha entrado exatamente para isso.

Isso demonstra uma mudança na proposta de valor da plataforma, algo que o executivo Juan Solá tinha comentado. Enquanto a HBO Max parecia atrair muito mais um assinante que buscava as séries prestigiosas da HBO e os grandes lançamentos do cinema da Warner Bros, a Max parece tentar expandir o público que pode aproveitar o streaming.

A chegada de conteúdo da Discovery, que além de documentários de canais como TLC, Discovery Channel e ID, também traz conteúdo infantil da Discovery Kids, mostra que a Max é muito mais uma plataforma para toda a família.

Continua após a publicidade

O maior problema é que, apesar dessa avalanche de novos conteúdos da Discovery, eles nunca foram muito o foco dos assinantes da HBO Max. Por ser a estreia de um novo serviço, apenas incluir mais coisas que estavam presentes em outro app, no caso a Discovery+, e correr para o abraço, parece preguiçoso.

A única grande estreia da Max na América Latina é Aquaman 2: O Reino Perdido, um filme que tem seu valor, mas não é forte suficiente como carro-chefe de um grande lançamento de um streaming em uma região inteira.

Considerando o fato de LATAM fazer parte da primeira fase de expansão da Max pelo mundo, esperava-se que a Warner Bros Discovery tivesse preparado algo especial para chegar para os assinantes, e não só ter incluído um monte de conteúdo que eles não tinham pedido antes e esperar que todos fiquem felizes.

Continua após a publicidade

Aumento de preços e mudanças de planos complicam as coisas

O aumento dos valores de assinatura da Max em comparação à HBO Max faz certo sentido no papel, vide a quantidade de conteúdo que foi acrescentado ao serviço. Por mais que muitos reclamem que não gostariam de pagar a mais pelas séries e documentários da Discovery, não existe uma espécie de assinatura à la carte.

Porém, tudo poderia ter sido remediado com uma melhor divulgação na proposta de valor do streaming, apresentando-o como algo novo, e não somente como uma nova versão mais cara da HBO Max.

Continua após a publicidade

Talvez esse seja o maior desafio da Warner Bros Discovery na América Latina, que além de conseguir novos assinantes, é conseguir fazer a cabeça daqueles que já pagavam pelo serviço para que eles continuem pagando.

De um ponto de vista de usuário, a Max é realmente uma assinatura cara, principalmente se a única coisa que você deseja é ver séries da HBO. Caso você pense no todo, aproveitando diferentes conteúdos, vendo o serviço como alguns de seus concorrentes, como Netflix e Amazon Prime Video, talvez ela comece a ser mais interessante.

Só que ainda falta uma estreia bombástica e uma estratégia um pouco diferente para os assinantes começarem a vê-la dessa forma.