Anna Delvey: A história da vigarista que virou série na Netflix

Anna Delvey: A história da vigarista que virou série na Netflix

Por Natalie Rosa | Editado por Jones Oliveira | 13 de Dezembro de 2021 às 20h30
Netflix

Em fevereiro estreou a nova série baseada em acontecimentos reais na Netflix: Inventando Anna. Desta vez, a história contada é a de Anna Sorokin, uma vigarista russa que fingiu ser uma rica herdeira alemã sob uma identidade falsa. O caso aconteceu em 2013 e Anna teve uma vida repleta de luxo e ostentação na cidade de Nova York, mas tudo acabou quando ela foi desmascarada e o caso acabou na Justiça.

Anna é interpretada por Julia Garner, mais conhecida pela série Ozark, também da Netflix, e quem está por trás da criação da série é Shonda Rhimes, conhecida por produções como Grey's Anatomy, Scandal e Bridgerton. A trama tem nove episódios e mostra quais foram os crimes cometidos pela farsante, como era a sua vida luxuosa e como seus planos começaram a dar errado.

Anna Sorkin é interpretada por Julia Garner (Imagem: Divulgação/Netflix)

Se você gostou de assistir Inventando Anna e quer saber mais sobre a farsante, o Canaltech conta melhor a história de Anna Sorokin e a sua transição para Anna Delvey.

Da infância à mudança para NY

Anna nasceu em janeiro de 1991 na cidade russa de Domodedovo, perto de Moscou, e se mudou com a família para a Alemanha em 2007, quando tinha 16 anos. Os pais dela não eram de uma família com dinheiro: o pai trabalhava como motorista de caminhão e a mãe era dona de casa e ex-proprietária de uma loja de conveniências. Já em 2011, ela foi morar em Londres para estudar na universidade Central Saint Martins, mas acabou desistindo e voltou para a Alemanha.

Não satisfeita, se mudou para Paris para começar um estágio na revista de moda Purple, e foi na França que ela começou a usar o sobrenome Delvey. A mudança para Nova York aconteceu em 2013, quando ela foi cobrir a New York Fashion Week. Mesmo depois de pedir demissão, ela usou o nome falso e os contatos que havia feito para se integrar na cena de socialites da cidade.

Infiltrada na alta sociedade

Os golpes começaram quando Sorokin criou a Anna Delvey Foundation, que englobava uma fundação de arte com um clube privado para membros. Para que a ideia se sustentasse, ela precisaria alugar o Church Missions House, que fica em um edifício histórico em Manhattan. A ideia era utilizar o local para receber convidados, organizar eventos e como estúdio de arte.

A série vai mostrar a vida de luxo que a farsante tinha nos EUA (Imagem: Divulgação/Netflix)

Foi nessa mesma época que Sorokin começou a usar sua "cara de pau" para que suas amizades na high society pagassem por hotéis, voos e refeições de luxo, sempre com a promessa de que pagaria de volta, mas também sempre "esquecendo" de devolver. Mas como não conseguiu investidores reais para a Anna Delvey Foundation, a criminosa foi além: passou a criar extratos bancários falsos para comprovar que ela tinha acesso a cerca de 60 milhões de euros em contas bancárias na Suíça, fazendo pedidos de empréstimos.

Esses documentos, então, se tornaram suspeitos devido a algumas discrepâncias, e as coisas começaram a desandar. Anna chegou a se registrar em diversos hotéis sem ter um cartão de crédito válido, acumulando dezenas de milhares de dólares em contas. Com isso, foi sendo despejada dos hotéis em que vivia, e eles a acusaram formalmente por roubo de serviços. A essa altura, ela já não tinha mais como fugir.

O que aconteceu com Anna Sorokin?

Depois de ter sido indiciada várias vezes por furto e roubo de serviços, tudo desandou e Anna Delvey foi presa no dia 3 de outubro de 2017 em uma operação policial. Quando isso aconteceu, ela estava hospedada no centro de tratamento antidrogas Passages Malibu, na Califórnia. Mais de um ano depois, em dezembro de 2018, ela compareceu a um tribunal criminal de Nova York, quando seu julgamento foi marcado para o dia 20 de março de 2019.

O julgamento, então, a considerou culpada de oito acusações, entre roubo de serviços, tentativa de furto e furto em segundo grau. Ela foi condenada de a quatro a 12 anos de prisão, precisando pagar ainda uma multa de US$ 24 mil e restituição de US$ 199 mil. Anna foi libertada no dia 11 de fevereiro de 2021, mas voltou a ficar em custódia por ter permanecido no país um mês a mais do que o visto permitia. Agora, ela está sendo mantida pelo Departamento de Imigração dos Estados Unidos para ser deportada à Alemanha.

Inventando Anna está disponível no catálogo da Netflix.

Com informações: Independent

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.