Desafio do balde de gelo já arrecadou US$ 31,5 milhões nos EUA

Por Redação | 22.08.2014 às 15:22 - atualizado em 22.08.2014 às 18:06
photo_camera Divulgação

Nunca jogar um balde de água fria na própria cabeça tinha chamado tanta atenção quanto agora. Desde a semana passada, inúmeras pessoas, personalidades e celebridades lotaram as redes sociais com vídeos jogando nelas mesmas um balde com água e gelo. E tudo por uma boa causa: arrecadar fundos para entidades que tratam de usuários diagnosticados com esclerose lateral amiotrófica (ELA), além de conduzirem estudos científicos sobre a doença.

No que depender da participação de vários famosos e nomes conhecidos na mídia, a iniciativa virou um sucesso. Segundo a ALS Association, ONG dedicada ao apoio dos pacientes e à pesquisa da doença, desde o começo da campanha, em 29 de julho, até a última quarta-feira (20), foram angariados US$ 31,5 milhões (cerca de R$ 71,2 milhões) em doações, vindas de mais de 637 mil novos doadores. No mesmo período do ano passado, o montante foi de apenas US$ 1,7 milhão.

Aqui no Brasil, os valores arrecadados são encaminhados para a Associação Pró-Cura da ELA, para a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (Abrela) e para o Instituto Paulo Gontijo (IPG). Todas são instituições focadas em ajudar portadores da enfermidade com medidas como empréstimo de equipamentos, doação de alimentos e pagamento de enfermeiros. Segundo a revista VEJA, desde o início da campanha até o último dia 20 de agosto, a Pró-Cura e a Abrela conseguiram juntas um total de R$ 75 mil em doações. O IPG ainda não tem uma estimativa das doações.

Em apenas dois dias, a Pró-Cura recebeu R$ 63 mil. Para se ter uma ideia, entre junho e dezembro do ano passado, a entidade recebeu apenas R$ 12 mil em doações. A ONG é formada por dez pessoas que possuem familiares portadores da doença e atende 550 pacientes. "Até o início da campanha do balde de gelo, 90% do dinheiro vinha do nosso próprio investimento. Vamos usar o dinheiro arrecadado para ajudar no tratamento das pessoas, como compra de comida e transporte de equipamento", disse Andreza Diaféria, uma das fundadoras.

Fundada em 1998 pelo neurologista Acary Oliveira, a Abrela, por sua vez, arrecadou R$ 12 mil nos últimos sete dias, contra os R$ 18 mil que costuma arrecadar durante um mês inteiro. A entidade auxilia 1.800 portadores de ELA e tem quatro empresas patrocinadoras, além de doadores fixos e esporádicos. Já o IPG, criado em 2005, tem como objetivo ajudar em pesquisas científicas relacionadas à ELA no Brasil.

O desafio

Segundo a ALS, a brincadeira começou com Pete Frates, um ex-jogador de basquete que foi diagnosticado com esse tipo de esclerose em 2012. O desafio só foi se popularizar mesmo nas últimas duas semanas, quando executivos do mundo da tecnologia começaram a desafiar uns aos outros a jogar um balde de água fria em si mesmos ou fazer uma doação de US$ 100 para a associação. Bill Gates (Microsoft), Mark Zuckerberg (Facebook), Tim Cook (Apple) e Jeff Bezos (Amazon) são alguns dos nomes que toparam o desafio – e claro, fizeram doações para a instituição. Neste link você pode ver os melhores vídeos da brincadeira.

A doença

Stephen Hawking

A ELA se caractertiza por ser uma doença neurodegenerativa progressiva que afeta os neurônios motores, além das células do sistema nervoso central, responsáveis por controlar os movimentos voluntários dos músculos. Embora ainda não exista cura ou tratamento eficaz para a patogenia, alguns medicamentos de alto custo podem retardar sua evolução e aumentar a sobrevida do paciente em alguns meses. O físico britânico Stephen Hawking é um dos maiores exemplos de superação da ELA, já que ele foi diagnosticado em 1962, quando tinha 21 anos. Hoje, Hawking tem 72 anos.

Como ajudar aqui no Brasil

Algumas instituições brasileiras aceitam doações em todos os dias do ano. Por isso, em vez de desperdiçar água, que já está em falta, veja abaixo como você pode ajudar essas entidades. Os valores são destinados tanto para o tratamento de pacientes com esclerose lateral amiotrófica quanto para pesquisas ligadas à doença:

Para doar à Pró-Cura da ELA:

  • Banco Bradesco (237)
  • CNPJ: 18.989.225/0001-88
  • Agência: 2962-9
  • Conta corrente: 2988-2
  • Site oficial: procuradaela.com.br

Para doar à Abrela:

  • Banco Santander (033)
  • CNPJ: 02.998.423/0001-78
  • Agência: 3919
  • Conta corrente: 130001906
  • Site oficial: abrela.org.br

Para doar ao Instituto Paulo Gontijo:

  • Banco HSBC (399)
  • CNPJ: 07.933.457/0001-06
  • Agência: 0319
  • Conta corrente: 01358-53
  • Site oficial: ipg.org.br