6 filmes e documentários para entender como é a vida na Coreia do Norte

Por Ricardo Ballarine | 19 de Outubro de 2017 às 16h03

A Coreia do Norte está determinada em mandar recados cada vez mais ameaçadores ao mundo. As últimas semanas, marcadas por muita tensão entre o ditador Kim Jong-un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tiveram ainda mais mais amostras dessa tirania, o que se agravou com a entrada da Rússia neste conflito, por enquanto, verbal.

A agência Associated Press reportou que o embaixador da Coreia do Norte na ONU, Kim In-ryong, disse que “uma guerra nuclear pode começar a qualquer momento”. Ele deu essa declaração ao comitê de desarmamento da Assembleia Geral.

Nesse tabuleiro de xadrez, a China continua fazendo o papel de intermediário, tentando estimular o diálogo entre Pyongyang e Washington. A Coreia do Norte permanece isolada, enquanto os EUA contam com o Japão como aliado, um dos alvos dos mísseis de Jong-un.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O Canaltech, na tentativa de entender como o país asiático vive sob o regime ditatorial, com restrições de comunicação,  uso de internet e violações aos direitos humanos, já publicou uma lista com com seis livros para entender como é a vida sem tecnologia na Coreia do Norte.

Agora, selecionamos seis filmes, documentários e ficções, que retratam o país que pode iniciar a 3ª Guerra Mundial.

The Propaganda Game

Este é um documentário em forma de diário, dirigido pelo espanhol Álvaro Longoria. O foco da produção é retratar como funciona a manipulação das informações sobre a Coreia do Norte.

O diretor recebeu permissão para filmar no país e conseguiu entrevistas atuais, além de ter usado imagens de arquivos para montar o documentário. Sem interferir no que foi mostrado a ele, Longoria não quis discutir se houve ensaio ou teatro nas imagens captadas.

A ideia era mostrar a realidade social do país ao mesmo tempo em que questionou a manipulação da mídia nas informações repassadas aos cidadãos e ao mundo.

O documentário está disponível na Netflix.

Under the Sun

Este documentário começa com este aviso: “O roteiro deste filme nos foi designado pelo lado norte-coreano. Eles também nos forneceram um guia à disposição. Escolheram os lugares para gravação e vistoriaram cada tomada, para se certificarem de não errarmos aos mostrarmos as vidas ou uma família perfeitamente feliz no melhor país do mundo, com uma filha pronta para entrar para a Liga das Crianças — seu primeiro passo no caminho de se tornar parte do sistema criado pelo grande Kim Il-sung”.

Misto de ironia com realidade, o texto mostra as condições de filmagem da produção russa. O diretor Vitaly Mansky acompanhou por um ano a vida de uma família em Pyongyang, que prepara a filha Zin-mi para entrar na Liga das Crianças.

O diretor imaginava encontrar um país semelhante à União Soviética, mas ao longo das filmagens encontrou algo pior, um país sem memória ou debate cultural. O filme, disponível na Netflix, busca retratar esse cenário, ainda que vigiado pela máquina da ditadura norte-coreana.

A Coreia do Norte não aprovou o filme, pois descobriu que a equipe havia capturado imagens não autorizadas.

Os Amantes e o Déspota

Esta é uma história de amor transformada em tragédia pessoal. Na Coreia do Sul, o diretor Shin Sang-ok e a atriz Choi Eun-Hee formavam um casal de sucesso na vida e nas telas, com vários filmes de sucesso. Depois de se separaram, eles foram se reencontrar de uma forma inusitada, num ato digno de filme de ficção.

Em 1978, eles foram raptados pelo ditador norte-coreano Kim Jong-il, um cinéfilo declarado, com o intuito de comandar o cinema de seu país.

Dirigido por Robert Cannan e Ross Adam, o filme tem entrevistas com personagens da época e conta como o casal fugiu das garras do ditador. Eles conseguiram áudios do Jong-il, em que ele detalha seus planos para o casal. O documentário está disponível na Netflix.

Team America

Os criadores de South Park inventaram de satirizar a Coreia do Norte por meio de um filme todo produzido por marionetes. Uma equipe de elite de policiais tenta salvar o mundo de uma conspiração terrorista liderada por Kim Jong-il.

Misto de musical com comédia, esta sátira, por mais irônica que possa ser, enfrentou problemas nos Estados Unidos. Na época do lançamento, em 2004, a produção foi classificada como imprópria para menores de 17 anos por conta de palavrões, violência e uma cena de sexo entre os bonecos.

O filme está disponível na Netflix.

A Entrevista

Quase dez anos depois de ter satirizado a Coreia do Norte com Team America, uma nova comédia levou a ditadura asiática aos cinemas de ação. A Entrevista brinca com espiões e terrorismo, mas desta vez com atores de verdade.

Dirigido por Seth Rogen e Evan Goldeberg, o filme mostra um apresentador de programas de celebridades na TV e seu produtor numa aventura pela Coreia do Norte. Eles viajam para lá depois de descobrirem que Kim Jong-un era fã da atração, com o objetivo de entrevistá-lo.

No meio do caminho, a CIA recruta a dupla para que eles matem o ditador.

Quando foi lançado, o filme revoltou a Coreia do Norte. Hackers ligados ao país asiático invadiram o sistema da Sony para tentar impedir o lançamento e ameaçaram cinemas dos Estados Unidos que tentassem exibir o filme.

Meus Irmãos e Irmãs do Norte

O documentário dirigido pela sul-coreana Sung-Hyung Cho tenta mostrar a vida na Coreia do Norte por meio do olhar das pessoas comuns. A diretora vai além das imagens recorrentes passadas ao Ocidente e busca por meio de sua câmera escapar desses clichês.

Ela entrou na Coreia do Norte com passaporte alemão e conseguiu visitar fábricas, escolas e locais de lazer. Conversou com famílias para tratar sobre a economia.

Além de mostrar o cotidiano de Pyongyang, o filme também visita o interior do país, para onde as pessoas só podem viajar com autorização do governo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.