Startup que transforma você em sócio de influenciador recebe US$ 2,4 milhões

Startup que transforma você em sócio de influenciador recebe US$ 2,4 milhões

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 23 de Setembro de 2021 às 23h40
George Milton/Pexels

A Divi-Hub recebou um aporte de US$ 2,4 milhões (R$ 12,7 milhões) da empresa de investimentos norte-americana Comstar International LTD, em rodada do tipo pré-seed, para alavancar os negócios da startup brasileira. O dinheiro será usado tanto para ampliar a estrutura de negócios e tecnologia da empresa quanto para atingir mais perfis da economia criativa, como música e esportes.

Para quem não sabe, a proposta da Divi-Hub é transformar qualquer pessoa em "sócia" de projetos de diversos influenciadores digitais. É possível comprar ativos de certas iniciativas de um criador de conteúdo, como campanhas, reality shows e séries, e com isso ganhar uma porcentagem sobre os lucros da empreitada.

O novo aporte representa 10% do capital total da Divi-Hub e deve dar início à expansão da internacionalização da plataforma, principalmente nos EUA. A empresa deu entrada no processo de homologação no país junto à SEC, a Comissão de Valores Mobiliários de lá e que regula o mercado de transferências de recursos e financeiras.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No Brasil, a companhia diz operar sobre a instrução 588 da CVM brasileira, que aborda a emissão de valores via plataforma eletrônica de investimento participativo. Em julho, a imprensa noticiou que a área técnica do órgão havia suspendido uma oferta pública de sociedade para o canal do YouTube Metaforando, que foi realizada pela Divi-Hub. No mês seguinte, a CVM revogou a suspensão após a startup corrigir irregularidades e se adequar à instrução 588.

A empresa também disse, no comunicado à imprensa, que o ajuste recente "ajuda a blindar o investidor de riscos societários, como questões trabalhistas", porque o tipo de contrato envolvido — de Sociedade em Conta de Participação (SCP) — permite que sócios participantes — isto é, clientes da Divi-Hub — não assumam questões legais do respectivo influenciador. Este, por sua vez, entra como Sociedade de Propósito Específico (SPE) para emitir as "ações" do canal, que serão vendidas na plataforma.

Juridiquês à parte, a startup diz que até o início de outubro contará com seis projetos na sua carteira, que têm ao todo mais de 40 milhões de seguidores no YouTube e outras redes. Além do Metaforando do influenciador Vitor Santos, um reality show inspirado no jogo Among Us, há o UTC: O Desafio Final, do Castro Brothers, sobre criação de trocadilhos; Irmãos Piologo no Inferno, série de animação 2D do canal homônimo; Bees, reality show de Bibi Tatto; Street Bots, batalha de robôs do canal Rato Borrachudo; e Stand Up Favelas, reality do humorista Fábio Rabin com jovens comediantes da periferia de São Paulo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.