Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

E-commerce | Open Finance deve agilizar compras pelo Pix

Por| Editado por Claudio Yuge | 30 de Março de 2023 às 20h40

Link copiado!

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Open Finance, sistema de dados bancários abertos criado pelo Banco Central, vai tornar os pagamentos via Pix mais práticos e rápidos. O Iniciador de Transações de Pagamento (ITP) é uma ferramenta para e-commerces que visa eliminar algumas etapas dos meios de pagamento tradicionais, reduzindo o tempo de compra pelo Pix em até 50% — conforme demonstra um estudo da ABFintechs.

Atualmente, para realizar uma compra online pelo Pix, são necessárias várias etapas, incluindo a necessidade de copiar o código do Pix, sair do site, abrir o aplicativo do banco, fazer login, colar o código do pix, autorizar a transação, voltar para o site, etc. Com o ITP, o consumidor deverá escolher um banco, no qual será imediatamente transferido para a área do Pix, com todas as informações da transação já preenchidas. Após o usuário aprovar a transação, será transferido de volta para o site automaticamente.

Para Marcel Nicolay, CTO da fintech Malga, a redução das etapas necessárias para concluir o pagamento representará uma melhoria significativa na experiência de pagamentos por PIX. Segundo ele, em alguns casos o comprador precisa passar por até nove passos até completar uma compra — o que faz com que muitos compradores desistam da aquisição.

Continua após a publicidade

Como funciona o Open Finance?

O Iniciador de Transações de Pagamento utiliza as conexões do Open Finance às suas Application Programming Interface (APIs) — que consiste em um conjunto de normas que possibilita a comunicação entre plataformas bancárias sobre as informações de um cliente em comum. Permitindo, por exemplo, realizar o pagamento de um Pix com saldo de bancos diferentes.

O Banco Central tem a intenção em levar a tecnologia para outros meios de pagamento, como boletos, TED e cartões de crédito, mas o foco neste ano é para a aplicação do ITP com o Pix. Segundo uma pesquisa recente da MasterCard, a ferramenta para pagamentos instantâneos é usada em 42% das transações em negócios online.

Segundo o executivo, a fintech Malga está desenvolvendo uma camada única de integração com bancos, visando oferecer acesso aos lojistas uma ferramenta de pagamentos, transferências e outras operações executadas a partir do próprio site ou aplicativo — oferecendo uma melhor experiência para os seus consumidores.

"À medida que mais bancos e fintechs estejam integrados à inicialização, esperamos que o pagamento via PIX ganhe ainda mais força e se transforme no principal método de pagamentos para negócios digitais ainda em 2023”, finaliza Nicolay.