Índia pode barrar uso da Libra, criptomoeda do Facebook

Por Felipe Ribeiro | 09 de Julho de 2019 às 16h15
Divulgação
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

A novíssima criptomoeda do Facebook, a Libra, está enfrentando mais dificuldades do que se imaginava. De acordo com reportagem publicada pela Bloomberg, o governo da Índia, terceira maior economia da Ásia, está considerando não permitir que a moeda seja negociada por lá.

O caso, no entanto, não é isolado. Em abril de 2018, todas as entidades reguladas pelo Reserve Bank of India foram proibidas de negociar moedas criptografadas e virtuais, embora as pessoas que negociam com Bitcoin não tenham sido acoçadas pelo governo. No entanto, no mês passado, foi relatado que o governo indiano está trabalhando em projetos que propõem uma sentença de prisão para todos os usuários de criptografia.

"O design da moeda do Facebook não foi totalmente explicado", disse Subhash Garg, secretário de Assuntos Econômicos da Índia, em entrevista à Bloomberg, no sábado (6).

Imagem: CNET

Olhar desconfiado

A Libra tem enfrentado considerável ceticismo e desconfiança desde que foi anunciada. Políticos dos EUA e da Europa estão preocupados com o histórico do Facebook com segurança de dados e demais questões relacionadas à privacidade.

A presidente do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos EUA, Maxine Waters, disse que o Facebook "mostrou repetidamente um desrespeito pela proteção e pelo uso cuidadoso desses dados". Na semana passada, ela também enviou uma carta aos executivos do Facebook solicitando que interrompam temporariamente os planos de criar a Libra até que as questões de segurança e privacidade sejam completamente resolvidas. Uma comissão do Senado marcou uma audiência para discutir a criptomoeda em 17 de julho.

Na semana passada, mais de 30 grupos, incluindo o Economic Policy Institute e o US PIRG, também pediram ao Congresso e aos reguladores que imponham uma moratória sobre a Libra, até que "perguntas profundas" sejam respondidas.

Já na Europa...

O ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, afirmou que a Libra não representaria problemas se seu uso fosse limitado a transações. Já Mark Carney, dirigente do do Banco da Inglaterra, teme que a criptomoeda substitua as moedas atuais oficiais dos países. "Qualquer coisa que funcione neste mundo se tornará instantaneamente sistêmica e terá que estar sujeita aos mais altos padrões de regulamentação", disse Carney, em uma reunião em Portugal, segundo a Bloomberg.

Relembrando

O Facebook divulgou no mês passado a moeda digital global, que será administrada por um órgão governamental chamado Libra Association e por meio de uma carteira chamada Calibra. A rede social de Mark Zuckerberg está trabalhando ao lado de 27 parceiros para o lançamento, que deve ocorrer em 2020, incluindo PayPal, Visa, Uber, Coinbase, Lyft, MasterCard, Vodafone, eBay e Spotify. A meta é ter mais de 100 empresas colaboradoras.

Segundo o Facebook, a Libra deve ser usada para comprar produtos, enviar dinheiro internacionalmente e fazer doações.

Fonte: CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.