Falsificação de NFTs leva artista a remover trabalho da internet

Falsificação de NFTs leva artista a remover trabalho da internet

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 21 de Dezembro de 2021 às 18h06
Pixabay

O quadrinista Liam Sharp, que criou desenhos para empresas como a DC Comics, decidiu fechar sua galeria no DeviantArt para evitar roubo das suas artes para criação de tokens não fungíveis (NFTs). O artista anunciou a decisão via Twitter e disse não aguentar mais pessoas que pegam seu trabalho para vender na internet como um item original.

A DeviantArt trabalha em conjunto com a OpenSea, um dos maiores mercados de NFTs do mundo, para combater a prática a partir de um sistema de alerta que identifica a similaridade entre os desenhos comercializados. Embora não hajam dados oficiais, é possível notar uma onda crescente de trabalhos pirateados e vendidos por alguns milhares de dólares na web.

"Não posso — e não deveria — ter que relatar cada um e apresentar uma reclamação, que é consistentemente ignorado”, escreveu Sharp em outro tuíte. Ele disse estar triste e frustrado com tudo isso, portanto prefere abrir mão da divulgação online em troca da manutenção dos direitos autorais das suas criações.

Em uma mensagem enviada para a OpenSea, Sharp criticou a falta de critérios do site para listar e vender NFTs. O quadrinista reclamou da dificuldade para provar que a arte é dele, o que faz com que os criminosos aproveitem para organizar leilões rápidos para lucrar em cima do seu trabalho.

Falsificação de artes digitais

Nem mesmo Stan Lee, a lenda da Marvel, conseguiu escapar do comércio falso de NFTs. Mesmo falecido em 2018, a conta dele oficial no Twitter foi usada para vender um NFT do super-herói Chakra The Invincible na semana passada.

Embora os tokens sejam uma forma eficaz de comércio de artes digitais, a falsificação de obras é um problema que muitos ainda precisam lidar. A recompensa pelo trabalho árduo de criação, desenho e venda por ser frustrada por alguém com segundas intenções, que clona o arquivo e vende em plataformas com políticas falhas na checagem da autenticidade.

Vale lembrar que a maioria dos compradores são investidores ou colecionadores que buscam fazer dinheiro a partir da revenda de itens exclusivos. Quando os NFTs são fruto de um golpe, contudo, só lhes resta o prejuízo frustrante de ter comprado algo falso. Mesmo assim, esse mercado segue mais forte do que nunca, com a entrada de grandes marcas como a Adidas e a venda de tokens de momentos marcantes da carreira da cantora Katy Perry.

Fonte: Liam Sharp  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.