Publicidade

Manter a concentração não depende só da força de vontade

Por| Editado por Luciana Zaramela | 14 de Agosto de 2023 às 11h27

Link copiado!

iLexx/envato
iLexx/envato

Manter a concentração não depende só da força de vontade, mas sim dos neurônios. Essa é a descoberta de um estudo conduzido pela University of Pennsylvania e publicado na revista científica Neuron no último dia 26. Segundo o artigo, o cérebro é capaz de guiar na direção certa para nos concentrarmos em concluir uma tarefa necessária.

A pesquisa sugere que, embora todos os cérebros tenham a capacidade de se concentrar em uma tarefa gratificante e filtrar as distrações, alguns são melhores nisso do que outros.

Em comunicado, os autores apontam que, ao descobrir como o cérebro processa estímulos gratificantes, a ideia também é entender as falhas em determinados distúrbios cognitivos e psiquiátricos, como TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade), esquizofrenia ou TOC (transtorno obsessivo-compulsivo).

Continua após a publicidade

No experimento, os cientistas descobriram que um conjunto de neurônios no córtex pré-frontal lateral (a região do cérebro que impulsiona a motivação e as recompensas) dispara para manter o foco na tarefa principal e bloquear outros estímulos que distraem.

Conforme os próprios cientistas relatam, essa atividade neuronal coordenada parece ser o mecanismo-chave que permite desligar o “ruído” para concluir tarefas importantes. A descoberta sugere que focar em uma tarefa requer muita energia e pode ser algo que pode ser melhorado, especialmente em indivíduos com TDAH.

O principal objetivo do estudo é conseguir informações sobre como direcionar melhor os problemas de foco com cérebros neurodivergentes.

Como o cérebro alcança a concentração?

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Em 2022, um grupo de pesquisadores conduziu um artigo publicado na revista Scientific Reports para entender como o cérebro encontra concentração para resolver determinada tarefa.

O estudo revelou que os neurônios do córtex pré-frontal precisam trabalhar juntos em sincronia para focar nossos pensamentos. Existe um ponto muito importante nisso que é a variabilidade da atividade dos neurônios. Essa atividade diminui quando o cérebro se concentra durante atividades que envolvem o uso da memória.

No estudo, a equipe mediu picos neurais individuais entre centenas de neurônios durante essas atividades relacionadas a memória. Eles também analisaram o quanto essa atividade variou de teste para teste.

Continua após a publicidade

Por que temos dificuldade de concentração?

Por que está tão difícil manter o foco e se concentrar? Em 2022, especialistas alertaram que estamos vivendo uma grave crise de concentração, e a culpa pode ser da tecnologia. Um estudo que contou com a participação de universitários descobriu que esse público só se concentra em uma tarefa específica por 65 segundos. Em paralelo, outra pesquisa com trabalhadores de escritório descobriu que eles se concentram em média por três minutos.

A teoria dos especialistas é que isso não está acontecendo porque todos nós individualmente perdemos o foco. Na prática, ele foi "roubado" de nós, pela vida moderna. Os neurocientistas descobriram que quando as pessoas acreditam que estão fazendo várias coisas ao mesmo tempo, na verdade estão fazendo malabarismos, ou seja, trocando a atenção de um lado para o outro.

Como manter a concentração

Continua após a publicidade

Dito isso, anteriormente separamos algumas dicas para aumentar sua concentração: aderir a uma alimentação saudável e atividades físicas, ficar longe das redes sociais, evitar a cama e o sofá, fazer pequenas pausas e estabelecer uma agenda são hábitos que podem fazer a diferença no foco.

Fonte: Neuron, Penn Medicine News