Hoje tem eclipse solar! Saiba quando e como observar o fenômeno

Hoje tem eclipse solar! Saiba quando e como observar o fenômeno

Por Daniele Cavalcante | 14 de Dezembro de 2020 às 10h20
STEVE HELBER/AP

O ano de 2020 pode estar sendo difícil para todos, mas ao menos ele tem proporcionado alguns dos eventos astronômicos mais incríveis de se observar — como a passagem de um cometa visível a olho nu, a aproximação máxima de Marte e a maior aproximação de Júpiter e Saturno desde a Idade Média. E o ano se encerra ainda com um dos espetáculos celestes mais impressionantes — o eclipse solar total. Para a coisa ficar ainda mais incrível, o eclipse ainda vem acompanhado de uma chuva de meteoros e da passagem de um cometa!

Este é o último eclipse do ano e ocorrerá nesta segunda-feira, 14 de dezembro, exclusivamente para os habitantes da América do Sul. A má notícia é que, no Brasil, teremos apenas um eclipse parcial — a sombra da Lua só cobrirá completamente o Sol para os que estiverem em determinadas cidades do Chile e da Argentina. Mesmo assim, vale a pena conferir o eclipse parcial em nosso país, então confira nesta matéria como observar o fenômeno — sem se esquecer das precauções necessárias para sua segurança.

Como observar o eclipse solar de dezembro de 2020

O máximo de ocultamento do Sol em São Paulo durante o eclipse (Imagem: Reprodução/Time and Date AS)

A sombra da Lua passará pela Terra nas regiões Sul do planeta, na face voltada para o Sol. Ou seja, o Oceano Pacífico, Atlântico, Oceano Índico, Antártica, Sul da África e boa parte da América do Sul. Isso significa que, nas cidades do Norte e Nordeste do Brasil, o eclipse será bem mais discreto do que nas regiões Sudeste e Sul.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Em São Paulo, por exemplo, o Sol ficará parcialmente escondido, com a Lua cobrindo quase metade do disco solar. Para os habitantes da metrópole paulistana, o evento começará às 12h45 (horário de Brasília), com o máximo de escurecimento do Sol ocorrendo às 14h04, e encerra às 15h16. Mais para o Sul, em Porto Alegre (RS), o máximo será um pouco antes, às 13h50.

O máximo de ocultamento do Sol em Brasília durante o eclipse (Imagem: Reprodução/Time and Date AS)

Mais ao norte, em Salvador (BA), o ponto máximo de eclipse será às 14h30, mas apenas uma pequena parte do disco solar será coberto pela Lua. Em Brasília (DF), o evento também não será muito visível, mas você poderá observar um pedacinho do Sol encoberto pela sombra lunar às 14h03. Em Cuiabá (MT), também haverá pouco eclipse, mas você pode conferir o ponto máximo às 12h32.

Caso você esteja em Santiago, no Chile, poderá conferir o Sol quase completamente coberto às 13h01 (horário local), ou às 13h35 se você estiver em Buenos Aires, na Argentina. Os únicos lugares onde os sortudos habitantes poderão testemunhar o eclipse solar total em sua plenitude são as cidades de Temuco e Villarrica, no Chile, por volta das 13h (horário local).

O que é um eclipse solar total?

Imagem composta de um eclipse solar de 1999 (Imagem: Reprodução/Fred Espenak)

Esse evento ocorre quando a Lua passa na frente do Sol, bloqueando a luz de nossa estrela e, portanto, deixando parte da Terra no escuro por alguns minutos. Em outra perspectiva, também podemos descrever o eclipse solar como a sombra da Lua sendo projetada na Terra à medida que o satélite natural passa em frente à nossa estrela.

Como a Lua não é muito grande, a sombra que ela projeta sobre nosso planeta não é capaz de cobrir muitas regiões. Por isso, o fenômeno costuma contemplar apenas alguns países de cada vez, o que faz com que o evento seja um tanto raro. Em junho deste ano, por exemplo, outro eclipse solar aconteceu, porém apenas para os moradores da África Central, Península Arábica, Índia, China, Taiwan e Pacífico.

Diagrama de como ocorre um eclipse solar (Imagem: Reprodução/Time and Date AS)

Aliás, naquela ocasião, o que tivemos foi um eclipse anular, que acontece quando a Lua não consegue cobrir o Sol por completo em nenhum local do globo terrestre. É que, nesses casos, a Lua está longe demais da Terra e, por isso, sua sombra fica menor. Isso não diminui a beleza do eclipse anular — pelo contrário, o efeito é belíssimo, com as “bordas” do Sol escapando da sombra lunar e formando um círculo brilhante, o que conferiu ao evento o apelido de “anel de fogo”.

Locais onde a sombra da Lua se projetará sobre a Terra. Quanto mais forte a coloração da faixa, maior será a ocultação. Na faixa vermelha mais estreita, o eclipse será total (Imagem: Reprodução/Time and Date AS)

Neste dia 14 de dezembro, contudo, teremos um eclipse total, já que a Lua está perto o suficiente para bloquear toda a luz do Sol (nas regiões já mencionadas). Na verdade, o diâmetro aparente da Lua será maior que o do Sol, bloqueando toda a luz solar direta das cidades chilenas onde haverá o eclipse em sua totalidade.

Um eclipse solar só pode acontecer na Lua Nova, pois é neste momento em que nosso satélite natural fica diretamente entre a Terra e o Sol. O motivo de vermos muitas Luas Novas sem que ocorra um eclipse solar é porque, na maioria das vezes, a Lua nesse período se projeta ao norte ou ao sul do disco solar, de modo que sua sombra não cai sobre nosso planeta.

Como a sombra da Lua passa pela Terra durante o eclipse solar (Imagem: ReproduçãoNASA)

Em escala mundial, o eclipse total dura mais de 3 minutos, começando no nascer do Sol sobre o Oceano Pacífico e terminando no pôr do Sol sobre o Oceano Atlântico. Entretanto, a duração máxima do escurecimento completo será de aproximadamente 2 minutos e 10 segundos, apenas.

Como assistir a um eclipse solar com segurança

Não importa se é um eclipse solar parcial, total ou anular. A principal regra para qualquer observador é: nunca olhe diretamente para o Sol. Portanto, você deve se preparar com antecedência para ter em mãos os equipamentos necessários. Nada muito complexo: alguns utensílios domésticos costumam ser o suficiente.

A maneira mais prática é usando óculos especiais para eclipses, que geralmente têm armações de papelão e filtros solares para formar as lentes. Se você não conseguir um desses, ainda pode fazer um dispositivo “pinhole” com uma caixa de papelão e uma folha de papel alumínio. O método permite projetar a sombra do Sol em uma folha branca e ver o disco solar ficando sem um pedaço de sua circunferência.

Diagrama para construir uma caixa "pinhole" que permite observar o eclipse com segurança (Imagem: Reprodução/Time and Date AS)

Entre os materiais seguros para fazer um óculos que permita olhar diretamente para o eclipse, está o vidro de mascará de soldador nº 14 ou superior e filtros de poliéster aluminizado ou de polímero preto. E não, óculos escuros, filmes fotográficos e CDs não oferecem proteção UVA nem UVB. Aliás, quanto mais escuro for o material, maior é o perigo de lesionar a retina, pois a escuridão faz com que a pupila se dilate e permite uma maior quantidade de raios ultravioletas.

Transmissões ao vivo do eclipse solar

Outro meio de observar um eclipse solar ao vivo com segurança é, claro, acompanhando transmissões pela internet. Neste ano, muitos dos que pretendiam uma transmissão ao vivo do eclipse acabaram tendo seus planos frustrados por causa da pandemia de COVID-19, mas alguns canais ainda agendaram lives em locais onde o eclipse será bem interessante, como é o caso do vídeo abaixo.

Outra transmissão que promete exibir um eclipse total emocionante é a do site Exploratorium. Esta matéria será atualizada conforme outras transmissões ao vivo sejam confirmadas nos próximos dias. E se você souber de alguma live programada, deixe a dica nos comentários abaixo!

Fonte: Time and Date, EarthSky

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.