Publicidade

Corredor oculto é encontrado na Grande Pirâmide de Gizé

Por| Editado por Luciana Zaramela | 02 de Março de 2023 às 13h39

Link copiado!

 Ricardo Gomez Angel/Unsplash
Ricardo Gomez Angel/Unsplash

Escaneamentos recentes revelaram um corredor de 9 metros próximo à entrada principal da Grande Pirâmide de Gizé, escondido da ciência até então. A descoberta foi possível graças ao projeto Scan Pyramids, que começou em 2015 e utiliza uma série de tecnologias inovadoras para observar o interior da estrutura de forma não invasiva, e já revelou outras câmaras e seções desconhecidas dos monumentos.

Também conhecida como Pirâmide de Quéops, já que foi construída no reinado do faraó homônimo, em 2560 a.C., a enorme tumba é a única das 7 Maravilhas do Mundo Antigo a ainda estar de pé. Até a construção da Torre Eiffel, em 1889, era a edificação mais alta construída por seres humanos em todo o mundo.

Continua após a publicidade

Câmaras extras e scanners

Para descobrir os segredos do interior da estrutura de 4.500 anos, cientistas estão utilizando termografia em infravermelho, simulações 3D com base em raios cósmicos e endoscópios para se infiltrar em cantos impossíveis de serem atingidos fisicamente por um ser humano.

Na última quinta-feira (2), então, autoridades em antiguidades egípcias revelaram o achado do misterioso corredor, que se acredita ter sido construído para ajudar a redistribuir o peso da pirâmide no entorno da entrada principal, a quase 7 metros de distância. Outra possibilidade é que o corredor tenha o mesmo uso, mas para o auxílio de outra câmara ou espaço ainda não descoberto pelos cientistas no interior da estrutura.

Há mais para encontrar?

Continua após a publicidade

O plano dos responsáveis pelo Scan Pyramids é continuar escaneando a pirâmide, na perspectiva de encontrar o que há para além do corredor e em outras partes da construção. Cinco salas acima da câmara mortuária do faraó, há outra seção atribuída à função estrutural de redistribuição de peso, então a possibilidade não é uma novidade. Alguns especialistas teorizam que o faraó possa ter mais de uma câmara mortuária.

A presença do corredor foi identificada, inicialmente, através de radares e ultrassom, e então confirmada com um endoscópio de 6mm de espessura, inserido em um pequeno vinco entre as pedras da construção. Uma vez dentro, o aparelho filmou a mais nova parte do interior da Grande Pirâmide.

O mesmo projeto encontrou um vão de pelo menos 30 metros de comprimento em 2017, dentro da mesma pirâmide, a maior estrutura interna encontrada no local desde o século XIX, além de um vão menor na sua face norte. Desde então, a câmara mortuária extra vinha sendo teorizada, o que é fortalecido pelo encontro do novo corredor. Resta, agora, esperar escaneamentos mais completos para descobrir se o faraó tinha, afinal de contas, mais um local para o descanso eterno.

Continua após a publicidade

Fonte: Reuters