Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

5 motivos para NÃO comprar o Volkswagen T-Cross Comfortline

Por| Editado por Jones Oliveira | 23 de Outubro de 2022 às 09h00

Link copiado!

Felipe Ribeiro/ Canaltech
Felipe Ribeiro/ Canaltech
Tudo sobre Volkswagen

O SUV mais vendido do Brasil tem méritos inegáveis e é um produto vencedor, com muitas qualidade e atributos que valem a sua compra. Mas, mesmo com a liderança de mercado em 2022 e reconhecidas valências, o Volkswagen T-Cross tem alguns pontos que merecem a sua atenção e podem te fazer repensar a compra.

Na variante Comfortline, uma das mais completas, alguns itens importantes vistos em concorrentes de valor e proposta parecidos fizeram falta, além de alguns detalhes de projeto que, claro, merecem ser destacados para que você, leitor do Canaltech, possa colocar na balança junto com os pontos positivos e decidir por levar um desses para casa ou não.

Sendo assim, separamos os cinco motivos para você não comprar o Volkswagen T-Cross Comfortline.

Continua após a publicidade

5. Não tem 4G nativo

O maior perseguidor do VW T-Cross hoje é o Chevrolet Tracker, que também tem motor turbinado, bom espaço interno e consumo de combustível dos melhores do segmento. Entretanto, o rival dos Estados Unidos dá um banho quando o assunto é conectividade, dispondo de um módulo 4G nativo que pode suportar até sete dispositivos com ótima qualidade de conexão.

A Volks afirma que não quer te fazer pagar a mais por um atributo. Faz sentido. Mas ele não é obrigatório e pode ser um valor vantajoso, já que a qualidade do serviço é muito boa, como já pudemos aferir em outras análises. Caso a VW Play tivesse conexão 4G nativa, seria quase imbatível.

4. Acabamento

Ponto crítico da linha Volkswagen no Brasil (com exceção ao maravilhoso VW Jetta GLI), o acabamento no T-Cross é superior ao visto no Nivus, mas é bem aquém do que se espera de um veículo desse nível e com o valor que lhe é cobrado.

Volante, banco e encostos de braço são em couro, é verdade, mas todo o resto é em plástico. Não é feio, diga-se, mas poderia ter mais requinte em um bólido que ultrapassa os R$ 140 mil.

Continua após a publicidade

3. Full LED? Só na Highline

O conjunto óptico do T-Cross Comfortline poderia ser full LED. Esse opcional está disponível somente na versão Highline, a mais cara da gama. Rivais mais em conta, porém, já contam com esse item de série desde as versões básicas.

2. Porta-malas

Continua após a publicidade

Muitos haters da internet automotiva brasileira pegam no pé do Jeep Renegade por causa do seu porta-malas e com razão. Os 320 litros do SUV da Stellantis incomodam. Mas, devemos dizer que o VW T-Cross não fica muito atrás quando o assunto é bagageiro.

Por mais que a Volkswagen diga que o T-Cross tenha 373 litros de porta-malas, a experiência foi até pior do que com o rival da Jeep. Não há espaço para muitas malas e viagens longas em família serão complicadas.

1. Faltam alguns itens de auxílio ao condutor

O Volkswagen T-Cross Comfortline já passa dos R$ 150 mil e isso implicaria na inclusão de vários itens de série. O problema é que a montadora, mesmo deixando a versão intermediária do SUV bem equipada, deixou de lado alguns itens que seriam bem interessantes e o tornariam ainda mais legal e seguro.

Continua após a publicidade

Sentimos falta, por exemplo, do alerta de ponto cego com correção e centralização, que é muito útil na estrada. Outro recurso que poderia ser um diferencial para esse modelo é o alerta de ponto cego. Por mais que não seja um carro grande, só elevaria o patamar do veículo ter esse módulo instalado.