Publicidade

O que é o sistema ADAS e como ele funciona?

Por| Editado por Jones Oliveira | 09 de Agosto de 2023 às 08h30

Link copiado!

Rawpixel.com/Freepik/CC
Rawpixel.com/Freepik/CC

Em tempos de carros cada vez mais inteligentes e com o desenvolvimento dos sistemas de direção autônomos a todo vapor, você certamente já deve ter ouvido falar que “tal modelo” é equipado com ADAS nível 1, nível 2 ou nível 2+, certo? Mas o que é o sistema ADAS?

A sigla ADAS vem da expressão em inglês Advanced Driver Assistance Systems que, em bom português, significa Sistema Avançado de Assistência ao Condutor.

Como o próprio nome diz, o sistema ADAS é um pacote de recursos desenvolvido para tornar a condução do carro mais inteligente e, claro, mais segura para o condutor e demais ocupantes. Como ele funciona? É isso que o Canaltech vai explicar nesse conteúdo.

Continua após a publicidade

Recursos do sistema ADAS

O sistema ADAS é formado por uma série de recursos, alguns deles mais simples, outros mais complexos, que até há bem pouco tempo eram encontrados somente em carros premium.

Veja a seguir quais os principais deles.

Continua após a publicidade

Sensores de estacionamento

Considerado nível 0 em ADAS, o sensor de estacionamento tem a função pura e simples de detectar objetos próximos aos carros e informar a distância deles aos motoristas. Podem funcionar com ou sem o auxílio de câmeras.

Blind Spot Monitoring System: BLIS (Monitoramento de Ponto Cego)

O monitoramento de ponto cego é o mais básico dos recursos do sistema ADAS, assim como os sensores de estacionamento. O principal objetivo desse recurso é detectar objetos que não aparecem no ângulo “normal” dos espelhos retrovisores.

Continua após a publicidade

Leitura de placas de trânsito

Um pouco mais “inteligente” que o sensor de estacionamento e o monitoramento de ponto cego, o leitor de placas de trânsito identifica a velocidade máxima das vias e avisa ao motorista caso ele a ultrapasse.

Rear Cross Traffic Alert (RCA)

Continua após a publicidade

O chamado alerta de tráfego traseiro agora é mais comum em carros fora do segmento premium e, por isso, também se encaixa no Nível 0 de condução autônoma. Ele é composto por radares e tem como principal objetivo sinalizar ao motorista sobre objetos que cruzam atrás do veículo.

Brake Assist System (BAS)

O assistente de frenagem de emergência pode ser considerado tipo 0 ou 1 de EDAS, pois ajuda a detectar aproximação repentina de carros ou objetos e, com isso, acionar automaticamente os freios para evitar acidentes.

Continua após a publicidade

Adaptive Cruise Control (ACC)

O controle de cruzeiro adaptativo é um recurso ADAS cada vez mais comum, mesmo em carros de entrada. Ele age de forma a controlar a velocidade e a aceleração do veículo para “seguir” os movimentos do que está à frente.

Estacionamento automático (Park Assist)

Considerado nível 2 de ADAS, esse recurso, quando acionado, ajuda o motorista a identificar uma vaga e, sem sua interferência, toma o controle da direção e aceleração do veículo para estacioná-lo.

Continua após a publicidade

Lane Keeping System (LKS)

O famoso assistente de permanência em faixa é uma mão na roda para os motoristas que simplesmente ignoram a existência da alavanca que existe em todos os carros para sinalizar convergências ou mudanças de faixa. Ele é composto somente por câmeras e também atua para corrigir a trajetória do veículo.

Sistema ADAS: Como ele funciona?

Continua após a publicidade

Agora que você já entendeu o que é o sistema ADAS e quais os principais recursos que fazem parte do pacote de assistência ao motorista, chegou a hora de responder mais uma pergunta crucial: como ele funciona?

A resposta, na verdade, não é tão complicada. O sistema ADAS funciona por meio de câmeras, sensores e radares tipo LiDAR posicionados em pontos diversos do veículo.

O principal papel do ADAS é o de monitorar o modo que o motorista conduz o carro e, por meio dos recursos embarcados, tomar ações de forma autônoma e inteligente para amenizar e, em alguns casos, até mesmo impedir colisões ou acidentes.

Continua após a publicidade

Os recursos embarcados freiam, aceleram e desviam de objetos, pessoas ou outros veículos, dependendo do pacote que cada carro oferece e da quantidade de câmeras e sensores inclusos nele.

Diferentes níveis de ADAS

De acordo com a SAE (Sociedade de Engenharia Automotiva) por meio da norma J3016, existem 6 tipos diferentes de ADAS, classificados do nível 0 ao nível 5. Nós já tratamos do assunto aqui no Canaltech, mas, se você não teve a chance de acompanhar esse conteúdo, vamos listá-los novamente.

São eles:

Continua após a publicidade

Nível 0

O nível 0 contempla recursos como monitoramento de ponto cego, sensores de estacionamento e alertas de mudança de faixa, já presentes em modelos fora do segmento premium.

Nível 1

O nível 1 do pacote ADAS já inclui itens como piloto automático, que mantém velocidade, ou a frenagem automática de emergência.

Continua após a publicidade

Nível 2

Aqui já temos sstema de permanência em faixa e auxiliares para estacionar o carro automaticamente como integrantes do pacote.

Nível 3

O nível 3 do ADAS, na verdade, ainda é embrionário, pois, na teoria, dispensa a presença do motorista humano, que precisaria apenas monitorar o que a máquina faz no trânsito.

Nível 4

O nível 4 é ainda mais avançado e, além de toda a independência do anterior, também "pediria" a ajuda do motorista caso identificasse situações que não conseguisse resolver.

Nível 5

O sonho de consumo de muitas empresas é o nível 5, que transformará todos os ocupantes do carro em meros passageiros. Apesar de alguns testes estarem sendo realizados com robô-táxis, ainda é um sonho distante para grande parte da população e das montadoras.