Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Montadoras chinesas fecham acordo para instalar fábricas de veículos no ABC

Por| Editado por Jones Oliveira | 14 de Julho de 2023 às 18h26

Link copiado!

Usertrkm/Freepik/CC
Usertrkm/Freepik/CC

O ABC paulista perdeu nos últimos anos duas importantes montadoras de carros: a Ford, que não tem mais plantas em funcionamento no Brasil, e a Toyota, que hoje opera em Sorocaba, no interior de São Paulo. Mas a região está próxima de acertar seu “contra-ataque”.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da região, foi assinado um termo de compromisso com representantes de duas importantes montadoras de veículos da China, a Chery e a Beijing Peak Automotive. O acordo foi firmado no dia 6 de julho, em Brasília, mas divulgado apenas agora.

Segundo Moisés Selerges, presidente do órgão, as montadoras querem investir alto na região e, com isso, colaborar para um projeto batizado pelo Sindicato de #ARetomada, com foco claro em atrair novos investimentos para as cidades do ABC.

Continua após a publicidade
“O compromisso de fazer investimentos deste porte na nossa região é uma ótima notícia, porque traz mais geração de empregos, renda, crescimento industrial e do comércio do ABC. São investimentos que vêm com os esforços dos Metalúrgicos do ABC, das frentes parlamentares Brasil-China e BRICS do Congresso Nacional e da IndustriALL-Brasil”.

Mais investimentos da China

Uma terceira empresa chinesa, a Sinomach, que também fabrica ônibus elétricos na Ásia, assinou um memorando de entendimentos no dia 1º de julho. A ideia inicial é promover investimentos estratégicos na região, cooperação para aprimoramento do setor produtivo e valorização do capital humano.

“Essa relação e demonstração da possibilidade de investimentos da Chery e da Peak, além da Sinomach que discutimos dia 1º, mostra o quanto o ABC ainda é importante industrialmente e mostra o ABC como lugar estratégico para investimento industrial”, comentou Aroaldo Oliveira da Silva, diretor-executivo do sindicato.

Fonte: SMABC