Honda revela sua estratégia para carros elétricos — mas ela é bem controversa

Honda revela sua estratégia para carros elétricos — mas ela é bem controversa

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 14 de Outubro de 2021 às 17h10
Divulgação/Honda

A Honda apresentou nesta semana sua estratégia para carros elétricos. Em conferência para a imprensa realizada na quarta-feira (13), a gigante japonesa revelou que pretende fabricar apenas carros movidos à bateria (incluindo híbridos) a partir de 2030. O detalhe, porém, é que a montadora vai restringir esse movimento apenas para a China, deixando o modelo de negócio nebuloso quando pensamos em outros mercados, como Europa, Estados Unidos e Brasil.

Nova marca

A apresentação da Honda foi dividida em várias partes e isso ajudou na confusão. Para começar, a montadora revelou que todos os carros eletrificados ficarão sob uma nova marca, a "e: N Series", um misto conceitual entre futuro, sustentabilidade e tecnologia. Os primeiros modelos lançados com essa assinatura já devem aparecer na metade de 2022: três SUVs 100% elétricos, os então chamados e: NS1 e e:NP1 — além do já revelado Prologue

Mas, além disso, a Honda mostrou mais três conceitos de automóveis que devem ser a base para mais modelos que serão lançados, segundo a empresa, até 2025 somente na China:

  • e: N SUV Concept - um conceito de SUV elétrico de porte médio
  • e: N GT Concept - modelo esportivo de alto desempenho
  • e: N Coupé Concept - também com apelo esportivo, mas com carroceria coupé

Apesar de mostrar imagens e conceitos, a Honda não trouxe muitos detalhes sobre o desempenho desses veículos, tampouco os mercados em que serão lançados; mas é certo que as baterias, sejam elas equipadas nos carros elétricos ou híbridos, serão feitas em parceria com a General Motors com a tecnologia Ultium, que promete mais autonomia e carregamentos velozes. 

O SUV Prologue foi confirmado para os Estados Unidos, mas os novos NS1 e NP1 devem ser restritos apenas ao mercado chinês em parcerias com as joint ventures Dongfeng Honda e GAC Honda. A produção desses dois modelos deve será iniciada em 2024.

Eletrificação total apenas na China

Mesmo com a revelação de conceitos e novos modelos, o grande destaque da apresentação da Honda foi o anúncio de que a empresa vai, sim, produzir apenas carros eletrificados a partir de 2030, mas somente na China. Sem explicar o motivo, a montadora avisou que vai avaliar fazer o mesmo movimento em outros países, mesmo já tendo noticiado que venderia apenas carros zero emissão em 2040.

(Imagem: Divulgação/Honda)

Além disso, a Honda também prometeu que vai lançar o pacote de segurança autônoma, o Honda Sensing 360, primeiro na China, com a meta de ser uma empresa completamente livre de colisões até 2050. "A aplicação do Honda Sensing 360 começará na China em 2022 e será expandida globalmente. A Honda se esforçará para expandir a aplicação a todos os modelos para serem colocados à venda nos principais mercados do mundo — incluindo a China — até 2030", disse a empresa em comunicado.

Como fica o Brasil?

No Brasil, a Honda ainda engatinha quando o assunto é carro elétrico ou híbrido. A montadora acabou de lançar seu primeiro modelo com bateria em nosso mercado, o sedã grande Honda Accord, que traz uma tecnologia exclusiva de hibridização — a mesma que deve ser vista em modelos futuros, como a nova geração do Honda HR-V

E por falar em HR-V, a Honda já confirmou o lançamento no Brasil para 2022, mas não deu detalhes se vai trazer também a variante eletrificada. Em nível global, o único carro 100% elétrico da montadora japonesa é o Honda E. 

Fonte: Honda

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.