GWM confirma lançamento do Haval H6 no Brasil em 2022

GWM confirma lançamento do Haval H6 no Brasil em 2022

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 21 de Junho de 2022 às 13h07
Divulgação/GWM

A Great Wall Motor (GWM) apresentou à imprensa nesta terça-feira (21) boa parte do que já havia adiantado em entrevista exclusiva recente ao Canaltech: como funcionará o sistema DHT (Dedicated Hybrid Technology) dos carros híbridos da marca e qual será o 1º carro lançado no Brasil.

Oswaldo Ramos, CCO da montadora chinesa, reiterou que o principal objetivo da GWM no país é “começar a eletrificar o mercado brasileiro”. Para o executivo, no entanto, o carro elétrico puro, aposta de muitas marcas, não é o caminho a ser seguido neste momento, principalmente por conta da infraestrutura precária.

“A GWM aposta muito no carro híbrido. Brasileiro precisa de uso diverso, e da tecnologia adequada a isso. A híbrida é a mais adequada. Vamos trazer um carro que, para o dia a dia de condução, será elétrico, mas dará a tranquilidade de um motor a combustão para uso múltiplo, com autonomia combinada superior a 1.000 km”, avisou.

Infográfico ilustra como funciona o sistema da GWM na "vida real" (Imagem: Divulgação/GWM)

A possibilidade de proibição da venda de carros a combustão no país, já definida em vários centros da Europa, não pareceu preocupar o executivo da GWM. Questionado pelo Canaltech sobre o tema, ele revelou que a marca já tem planos traçados para quando (se) isso acontecer no Brasil:

“Vamos ter motores a combustão flex para a produção local. Nosso futuro é flex híbrido. O Brasil tem a solução muito interessante do etanol. Isso permite uma vida longa: etanol, flex, híbrido, ainda têm muita vida no Brasil. Olhando no longo prazo, apresentamos as células de combustível a hidrogênio. A GWM tem muito interesse no etanol para gerar hidrogênio, e o híbrido será o primeiro grande passo do Brasil para a eletrificação”.

Como funciona o DHT?

Para atingir a autonomia absurda prometida, a Great Wall Motor colocará em seus carros de passeio, incluindo os SUVs, um sistema chamado DHT. As picapes, que em breve também darão as caras no mercado verde-amarelo, utilizarão outra tecnologia, mas esse assunto, segundo os executivos, será tratado mais adiante.

Guilherme Teles, diretor de produto, foi o responsável por explicar o porquê os carros com a tecnologia DHT “conquistarão o coração do brasileiro”. O executivo explicou que a marca trabalha com três configurações distintas de motorização:

Apresentação da GWM mostrou os diferenciais do sistema DHT (Imagem: Divulgação/GWM)
  1. HEV: 1.5 turbo + DHT130 (1 motor turbo + 1 motor elétrico, tração dianteira, potência entre 243 e 393 cavalos);
  2. PHEV: Mesma configuração, mas com autonomia 100% elétrica de até 200 km, e possibilidade de recarga na tomada;
  3. PHEV P4: Acrescenta um segundo motor elétrico, tem tração integral e potência aumentada (entre 393 e 483 cavalos), desempenho esportivo, com aceleração de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos, e autonomia de elétrico puro de até 180 km.

Segundo Oswaldo Ramos, um dos pontos que mais chamam a atenção no sistema DHT, em especial nos híbridos plug-in e PHEV P4, é o desempenho similar ao oferecido por quem admira carros 100% elétricos.

“Brasileiro gosta de performance. Ninguém vai ter um produto com essa performance. Até 200 km de performance em carro elétrico. Essa é a tecnologia híbrida do DHT GWM”.

Tecnologia, conectividade e pós-venda

Outro assunto abordado brevemente nesta terça, e que o Canaltech já havia adiantado, foi em relação à tecnologia e à conectividade que estarão presentes nos carros da GWM no Brasil. E elas serão realmente de ponta, com direito a um aplicativo exclusivo da marca chinesa:

“Nossos carros terão, de série, itens de assistência ao motorista. Ele só vai optar se quer híbrido, plug-in com tomada ou superesportivo com tração integral. Todos serão 100% conectados, com chip no módulo do motor de série, e teremos um aplicativo que permitirá upgrade de várias funções via celular, controles remotos e informações de telemetria do carro”.

A preocupação com o atendimento em pós-vendas, constante em clientes que compram carros de outras marcas chinesas, não existirá. Essa foi uma promessa de Oswaldo Ramos: “O pós-venda é visto como ponto estratégico da marca. A rede que está vindo não é só de vendas, é de pós-vendas também. Vamos oferecer serviços leva e traz, carro reserva, e dar toda a segurança para ter um carro da GWM”.

Haval H6: 1º carro da GWM no Brasil

A GWM confirmou que o SUV Haval H6 será, realmente, o 1º modelo da marca a ser lançado no Brasil. A data exata não foi revelada, mas deverá acontecer no 2º semestre de 2022.

O H6 é um SUV híbrido especialmente desenvolvido para o Brasil, capaz de rodar até 200 quilômetros sem um único pingo de gasolina no tanque.

Haval H6 já está rodando em testes no Brasil e será 1º lançamento no País (Imagem: Divulgação/GWM)

Segundo Oswaldo Ramos, todas as versões do SUV estão na rota de lançamentos, inclusive a superesportiva, com a configuração PHEV P4. “Todas elas estão previstas, mas há fila para homologação”, explicou.

Quanto vai custar um carro da GWM?

E o preço? Afinal de contas, quanto vai custar um carro da GWM, que carregará com ele tecnologia de ponta, desempenho e autonomia? Segundo a marca, o consumidor brasileiro pode ficar tranquilo, pois o valor não será o mesmo praticado pelas marcas de luxo por aqui.

“O híbrido e o plug-in híbrido vêm como diferencial da GWM para o mercado de SUVs. Não vamos atuar no segmento premium. Jeep, Toyota, Volkswagen. É com esses, nesta faixa de preços, que vamos competir”, concluiu.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.