Europa define data para proibir venda de carros a combustão

Europa define data para proibir venda de carros a combustão

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 10 de Junho de 2022 às 09h00
Matt Boitor/Unsplash/CC

O primeiro passo para colocar um ponto final na venda de carros a combustão em toda a Europa foi dado. Parte do pacote chamado ‘Fit for 55’, o texto que prevê a proibição da comercialização de carros a combustão foi votado e aprovado pelo Parlamento Europeu por 339 votos a 249, além de 24 abstenções.

O texto define que a venda de carros a gasolina, diesel ou outra propulsão a combustão ficará proibida até 2035. O próximo passo será o encaminhamento do resultado da votação para a análise do Conselho Europeu. Posteriormente, o assunto será debatido com a Comissão Europeia e o Parlamento para que, enfim, uma data definitiva possa ser sacramentada.

A meta da União Europeia é reduzir as emissões de CO2 no continente em 55% até 2030, chegando à neutralidade total em 2050. Diversos estudos mostram que os carros a combustão são os principais poluentes e, por isso, tratados como ponto primordial no planejamento traçado para essa redução.

Carros com motores a combustão podem ficar proibidos na Europa até 2035 (Imagem: Matt Boitor/Unsplash/CC)

Políticos discordam sobre proibição

O assunto mexeu com os diversos partidos políticos do continente. Enrico Letta, que integra o Partido Democrata da Itália como secretário, se mostrou amplamente favorável à decisão que quer extinguir a venda de carros a combustão em toda a Europa até 2035.

“Hoje, em Estrasburgo, votamos a favor do pacote Fit for 55. E com a introdução do imposto de carbono nas fronteiras da UE, protegemos nossos produtos da concorrência desleal daqueles que vêm de países menos ecológicos do que a Europa”, disse em seu perfil oficial no Twitter.

Antonio Tajani, que integra o Partido Forza Italia, respondeu à publicação do rival político questionando o porquê de ele não mostrar o mesmo comprometimento sobre uma emenda que permitiria a algumas marcas reduzir não em 100%, mas em 90% a produção de carros a combustão.

Segundo Tajani, tal medida ajudaria a “salvar milhares de empregos” na Itália.

“Porque o Partido Democrático não vota no Parlamento Europeu a alteração do Partido Popular Europeu, que propõe reduzir a proibição dos carros não elétricos de 100% para 90%? Serve para salvar dezenas de milhares de empregos”.

Outros movimentos políticos da Itália, como o Fratelli d’Italia e o Movimento 5, acompanharam a posição de Tajani. Para eles, tão importante quanto proteger e se preocupar com o meio-ambiente é “preservar as empresas que produzem e criam postos de trabalho na Itália e no restante da Europa”.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.