Publicidade

Chinesa MG lança hatch híbrido para encarar Dolphin

Por| Editado por Jones Oliveira | 29 de Fevereiro de 2024 às 15h30

Link copiado!

Divulgação/MG Motor
Divulgação/MG Motor

A MG, fabricante chinesa de carros que já confirmou presença no Brasil em 2024, apresentou no mercado local e na Europa a nova geração do MG 3, hatch que tem tudo para se tornar o principal rival do BYD Dolphin se pintar por aqui.

A principal novidade da nova geração diz respeito à motorização, que agora é híbrida. O powertrain do MG 3 é o chamado Hybrid+, que não precisa ir à tomada.

Continua após a publicidade

Ele é composto por um motor a combustão 1.5, de 102 cv, e um elétrico, de 100 kW (136 cv). Juntos, eles entregam ao motorista 194 cv, o que garante um desempenho bem interessante.

De acordo com os dados oficiais da MG, o hatch híbrido leva apenas 8 segundos para chegar do 0 aos 100 km/h, número bem próximo do apresentado pela versão mais potente do BYD Dolphin, a Plus, que completa o mesmo desafio em 7,3 segundos, mas tem 204 cv de potência total.

Continua após a publicidade

Em relação ao consumo, os números do MG 3 em sua nova geração também são empolgantes, e indicam que o hatch híbrido da montadora chinesa consegue médias de até 22,7 km/l no combinado cidade/estrada.

Pesadelo para Polo e Onix?

Continua após a publicidade

Não é somente o BYD Dolphin que tem motivos para temer uma possível chegada da nova geração do MG 3 ao Brasil. Pelo desempenho declarado e pelas medidas do hatch, ele também pode se tornar um pesadelo (mais um) para os líderes do segmento com motores a combustão.

O MG 3 tem 4,11 metros de comprimento e 1,80 m de largura, medidas que o tornam 4 cm mais comprido que o Volkswagen Polo e 7 cm mais largo que um Chevrolet Onix. Além disso ele tem 1,50 m de altura, ou seja, é 5 centímetros mais alto que um Peugeot 208, rival com o qual já compete na Europa.

O visual do MG 3, aliás, lembra bem o modelo da marca francesa na parte traseira. A frente, por sua vez, é mais agressiva, assim como as laterais, que apresentam vincos que tornam a carroceria mais musculosa.

Continua após a publicidade

Por dentro, a cabine tem elementos que remetem ao BYD Dolphin, como o painel de instrumentos digital centralizado bem à frente da coluna de direção. O seletor do câmbio é giratório, como em boa parte dos carros eletrificados, e o acabamento parece ser de excelente qualidade. Pelo jeito, vem aí mais um campeão de vendas originário da China.