WhatsApp trabalha em proteção dos backups de conversas com senha

WhatsApp trabalha em proteção dos backups de conversas com senha

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 08 de Março de 2021 às 13h20
Rubens Eishima/Canaltech

O WhatsApp pode estar trabalhando em uma funcionalidade que permite ao usuário usar senha para criptografar o backup das suas conversas no aplicativo. A ideia é oferecer uma camada extra de proteção aos dados armazenados no Google Drive ou iCloud. Vale lembrar que o aplicativo já oferece criptografia de ponta a ponta nas conversas, o que impede a interceptação de dados por terceiros. Contudo, isso não ocorria quando as mensagens e os arquivos de mídia eram armazenados como backups fora do WhatsApp.

A informação foi descoberta pelo site WABetaInfo, focado em notícias do WhatsApp. Fazendo um trabalho de engenharia reversa, eles descobriram trechos do código que revela a possibilidade de proteção do banco de dados. O acesso ficará atrelado ao número de telefone ao qual pertence a conversa e só será desbloqueado com a digitação correta da senha.

Como a senha não será compartilhada com o WhatsApp nem enviada para ninguém, o usuário precisará anotá-las em algum lugar para manter o acesso. Se esquecer, pode dar adeus ao backup, pois não será capaz de recuperar os dados criptografados. As capturas de tela revelam que a função estará disponível para as versões iOS e Android do aplicativo, sendo que também poderá ser usada para backups locais no dispositivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Até o momento, o WhatsApp não compartilhou nenhuma informação oficial sobre o recurso, mas parece que a novidade está pronta para ser disponibilizada em breve.

Privacidade e segurança em foco no WhatsApp

O aplicativo se viu no centro das atenções nas últimas semanas após atualizar a sua política de privacidade. Agora, para usar o serviço, o usuário precisa autorizar o compartilhamento de alguns dados com o Facebook, o que acabou confundindo e desagradando muita gente. Houve, inclusive, uma migração bastante significativa de pessoas para concorrentes, como Telegram, ICQ e Signal.

A rede adiou a implementação da nova política para o dia 15 de maio, e vai tentar explicar até lá a necessidade da mudança. Segundo comunicado, o WhatsApp afirma que esse é o primeiro passo de muitos para promover uma comunicação mais clara entre os usuários. A empresa está investindo em compra de anúncios no Google Ads para promover a nova política de privacidade, garantindo que não haverá nenhum tipo de violação ao usuário.

(Imagem: Reprodução/WABetaInfo)

Há quem diga que a rede social está se apressando para trabalhar em recursos de segurança, como este encontrado pelo WABetaInfo e a possibilidade de enviar mensagens que se autodestroem, como uma forma de mostrar que se preocupa com a privacidade do usuário. Essa função da criptografia, por exemplo, estava em desenvolvimento há pelo menos um ano.

Poderá a criptografia de backups ajudar na recuperação da imagem do WhatsApp? Ou será que os dias do maior mensageiro do planeta está com os dias contados? Comente.

Fonte: WABetaInfo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.