Confusão do WhatsApp turbina popularidade do veterano ICQ

Confusão do WhatsApp turbina popularidade do veterano ICQ

Por Rubens Eishima | 25 de Janeiro de 2021 às 13h00
Rubens Eishima/Canaltech

A bagunça causada pelas novas regras de privacidade do WhatsApp teve um efeito em cascata em apps de mensagens diversos. Um que deve alimentar a nostalgia entre muitos usuários, inclusive no Brasil, é o antigo (clássico?) ICQ, que também registrou um aumento no número de instalações.

O programa, popular na época das conexões discadas e dos CDs com um mês de acesso grátis, foi superado pelo MSN/Live Messenger e foi adquirido pela empresa russa Mail.ru. O novo ICQ está disponível em versões para Android, iPhone, Windows, macOS, Ubuntu Linux e Web.

Assim como o também russo Telegram, o ICQ investiu em criptografia, implementando o sistema de segurança em videochamadas em 2016. Além de videoconferências com até 50 participantes, o app oferece comunidades, envio de fotos, vídeos e mensagens de áudio, entre outros recursos já encontrados nos rivais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Segundo o The Wall Street Journal, a popularidade do ICQ aumentou até 15x em algumas regiões, caso de Hong Kong, após o anúncio das novas regras de compartilhamento de dados do WhatsApp com o Facebook.

Linhas mostram o desempenho do ICQ em Hong Kong (azul), Estados Unidos (verde), Taiwan (roxo) e Brasil (vermelho) (imagem: reprodução/SensorTower)

Na região administrativa da China, o ICQ alcançou a segunda posição no ranking de apps de comunicação mais baixados na Google Play Store. Para comparação, na primeira semana do mês o aplicativo ocupava a 280ª colocação, segundo números da consultoria Sensor Tower.

A explosão de interesse não se repetiu em outros países com a mesma força. Nos Estados Unidos, o ICQ saiu da 230ª posição para um pico na 148ª colocação, enquanto no Brasil ele saiu de 390º para um patamar na casa da 260ª posição. Resta saber se o aplicativo vai continuar surfando a onda da nostalgia, em alguns países o interesse no veterano parece ter perdido força desde sexta-feira (22).

Sente saudades do “O-Oh” que alertava o recebimento de mensagens no app? Vasculhe a memória e compartilhe seu UIN nos comentários abaixo.

Fonte: The Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.