Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Por que os japoneses se recusam a usar o WhatsApp?

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 16 de Abril de 2024 às 07h30

Link copiado!

André Magalhães/Canaltech
André Magalhães/Canaltech
Tudo sobre WhatsApp

O WhatsApp pode ocupar o posto de mensageiro mais popular do mundo, mas não é unanimidade em todos os países. Um exemplo disso é o Japão, que prefere uma solução local no lugar do aplicativo da Meta

LINE: a alternativa ao WhatsApp

Os japoneses não usam o WhatsApp com frequência porque o mensageiro mais famoso de lá é o LINE. O aplicativo foi criado em 2011, após o país sofrer com um tsunami e um terremoto no mesmo ano, que sobrecarregou as linhas telefônicas e dificultou o contato entre a população. 

Continua após a publicidade

Logo no lançamento, o app já contava com mensagens instantâneas e ligações de áudio — algo que só foi surgir no WhatsApp em 2015. A principal vantagem do LINE era usar uma conexão com a internet: as pessoas podiam se comunicar através de uma rede Wi-Fi, por exemplo, e evitavam gastos com tarifas telefônicas para chamadas e envio de SMS. 

O LINE ficou ainda mais popular no Japão com o passar dos anos e ganhou recursos parecidos com o de uma rede social, incluindo um feed de publicações e uma aba de jogos. O app também trouxe muitas ferramentas antes do concorrente da Meta, como stickers e a criação de canais, além de receber suporte a macOS e Windows.

A plataforma virou um “superapp” que concentra uma série de outros produtos num só lugar: a versão japonesa traz serviço de táxi, espaço para compras, área de pagamentos, aba de notícias e até um espaço para consultas médicas online.

A experiência voltada para o público japonês trouxe resultados: o LINE foi o mensageiro mais usado no país em 2023, de acordo com dados do site Similarweb, e ocupa o segundo lugar entre os apps de comunicação mais baixados na Play Store do Japão, atrás apenas do aplicativo do Google. A ferramenta também é popular em países asiáticos como Tailândia e Taiwan. 

O fenômeno explica a falta de popularidade do WhatsApp no país, pois o LINE identificou as necessidades da população japonesa e construiu uma base muito forte de usuários por lá. Portanto, não faz sentido adotar outro app de comunicação quando a maioria das pessoas usam uma única plataforma — é um cenário parecido com o que ocorre com o Telegram no Brasil, por exemplo.

Posso criar uma conta do LINE no Brasil?

Sim, o LINE possui uma versão em português para Android e iOS e permite criar um perfil com a conta do Google (não é necessário inserir o número de telefone celular). É possível enviar mensagens, criar grupos, fazer ligações, personalizar stickers, usar uma câmera com efeitos e muito mais. 

Continua após a publicidade

Porém, você pode ter alguma dificuldade para encontrar outras pessoas que usem o app por aqui, já que a ferramenta não faz sucesso no Brasil. A experiência pode valer a pena para conhecer alguns dos recursos, mas ele provavelmente não vai virar o mensageiro do seu dia a dia.

Quando o assunto é popularidade, você também pode descobrir em quais países o WhatsApp é mais usado (além do Brasil) e as nações com a maior parcela de usuários do Telegram no mundo