Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Como deixar o WhatsApp mais seguro | 10 dicas

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 20 de Março de 2024 às 17h15

Link copiado!

Aarn Giri/Unsplash
Aarn Giri/Unsplash
Tudo sobre WhatsApp

O WhatsApp é uma ferramenta importantíssima no dia a dia e reserva muitos dados sensíveis, portanto é muito importante deixar o app seguro para evitar problemas. Há uma série de golpes envolvendo o app, como clonagem de contas e engenharia social, e até amigos e familiares podem ser vítimas nessas situações.

Por padrão, o mensageiro usa criptografia de ponta a ponta para proteger o conteúdo das conversas, mas ainda existem ferramentas adicionais que reforçam a segurança da conta em casos de perda ou roubo do aparelho, por exemplo.

Dicas para deixar o WhatsApp mais seguro

Continua após a publicidade

Confira algumas medidas que podem ser tomadas no aplicativo e no celular:

1. Ative a confirmação em duas etapas

A confirmação em duas etapas é um dos procedimentos mais importantes para proteger a conta de invasores em casos de perda ou roubo do aparelho. Quando alguém intercepta seu número e tenta entrar na sua conta por outro aparelho, essa medida exige um código personalizado para liberar acesso ao.

Importante: não compartilhe o código de verificação em nenhuma circunstância. Muitos golpistas costumam pedir a sequência numérica em tentativas de clonagem da conta, então não divulgue essa informação

Veja como ativá-la:

  1. Abra as configurações do WhatsApp;
  2. Selecione “Conta”;
  3. Toque em “Confirmação em duas etapas”;
  4. Toque em “Ativar”;
  5. Insira um código numérico de seis dígitos e salve.

O WhatsApp ainda oferece a opção de adicionar um e-mail para recuperar o PIN, mas o ideal é não usar este ajuste — caso seu celular seja roubado, por exemplo, o invasor pode abrir o cliente de e-mail usado e localizar as informações para acessar a conta. Tente salvar o PIN em outra plataforma, mas com acesso mais restrito do que o próprio e-mail.

Continua após a publicidade

2. Use chaves de acesso

As chaves de acesso são uma opção de acessar a conta sem senha: no lugar disso, você autentica o login no app por biometria, com a impressão digital ou reconhecimento facial. Dessa forma, não é preciso salvar uma senha alfanumérica:

  1. Abra o WhatsApp;
  2. Acesse as configurações;
  3. Toque em “Conta”;
  4. Pressione “Chaves de acesso”;
  5. Selecione “Ativar”;
  6. Configure a chave.
Continua após a publicidade

3. Esconda informações de desconhecidos

A privacidade da conta é um fator muito importante para a segurança, especialmente quando desconhecidos podem acessar o seu perfil e extrair dados como foto de perfil, nome de usuário e resumo.

O mensageiro permite escolher quem pode ver essas informações e restringi-las apenas aos contatos salvos na sua agenda:

  1. Abra as configurações do WhatsApp;
  2. Toque em “Privacidade”;
  3. Selecione as opções “Foto de perfil”, “Visto por último”, “Status” ou “Resumo”;
  4. Faça o ajuste de privacidade.
Continua após a publicidade

4. Desconecte aparelhos

Caso você tenha usado o WhatsApp Web no computador do trabalho ou num aparelho compartilhado com outras pessoas, é recomendável encerrar a sua sessão remotamente. Isso evita que fofoqueiros vasculhem suas conversas e até enviem mensagens em seu nome. 

Siga estes passos:

Continua após a publicidade
  1. Abra o menu do WhatsApp pelo celular;
  2. Selecione “Dispositivos conectados”;
  3. Toque num dos aparelhos;
  4. Pressione “Desconectar”;
  5. Confirme a ação.

5. Aumente a privacidade no WhatsApp Web

Há uma série de extensões de navegador, como o WA Web Plus, que podem tornar o WhatsApp Web mais privado e seguro nos computadores. É possível, por exemplo, borrar o nome de contatos ou arquivos de mídia para limitar a exposição aos bisbilhoteiros.

Contudo, não confunda esse tipo de recursos com clientes alternativos não autorizados pelo WhatsApp — leia mais logo abaixo.

Continua após a publicidade

6. Use apenas versões originais

Pode parecer estranho, mas há uma série de versões não oficiais do mensageiro — WhatsApp GB, WhatsApp Plus, WhatsApp Prime e por aí vai. Você não deve usá-los em hipótese alguma: o próprio Zap afirma que esses apps são proibidos e podem resultar no banimento temporário da conta.

Além disso, as versões paralelas não passam pelos critérios de segurança da Google Play Store e podem expor a privacidade das suas mensagens.

7. Mantenha o app atualizado

Continua após a publicidade

Essa é uma dica simples, mas imprescindível: o WhatsApp constantemente lança atualizações com novos recursos e correções de segurança no Android e no iOS, então manter o app na versão mais recente já é uma forma de protegê-lo. Você pode, por exemplo, configurar para que as lojas atualizem todos os apps automaticamente.

8. Senha no Zap

O mensageiro também permite que você use a biometria para liberar o acesso às conversas, protegendo o app quando outra pessoa pegar o celular desbloqueado:

Continua após a publicidade
  1. Abra as configurações;
  2. Toque em "Privacidade";
  3. Selecione "Bloqueio de tela" ou "Bloqueio por impressão digital";
  4. Ative o recurso. 

Além disso, você pode proteger conversas específicas por senha — é possível usar a biometria ou criar um código personalizado para desbloqueá-las.

9. Evite usar redes públicas

Tome cuidado com as redes Wi-Fi públicas, porque nem sempre elas apresentam protocolos de segurança avançados e podem expor o dispositivo a invasores. Priorizar o uso de dados móveis ou uma conexão privada ajuda a proteger não só o WhatsApp, mas os demais apps com informações sensíveis.

Continua após a publicidade

10. Proteja o celular com senha

Todas as dicas anteriores perdem força se você não fizer o básico para proteger o aparelho, como configurar uma senha de acesso. Caso o dispositivo tenha leitor biométrico, priorize essa opção para adicionar uma camada extra de segurança sobre o PIN ou código alfanumérico.

Além disso, tente criar senhas mais complexas e que fujam de informações óbvias, como a data de nascimento, a letra inicial do nome ou combinações como “senha” e “123456”. Sem essa proteção, qualquer invasor só precisa deslizar sobre a tela para ter acesso a fotos pessoais, WhatsApp e aplicativos de banco.

Reforce a segurança do aparelho

Continua após a publicidade

O desespero bate em casos de furto ou roubo, mas há uma série de medidas que podem ser tomadas para conter os danos e evitar consequências ainda piores nessa situação. O Canaltech possui um conteúdo especial com todas as alternativas para se proteger quando isso acontece.