Android 12 marca uma revolução nos widgets; confira todas as novidades

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 24 de Maio de 2021 às 12h00

OMaterial You, nova linguagem de design do Google, pretende não só ser a cara geral do Android 12, mas o visual de vários aplicativos e recursos desenvolvidos para ele. Nessa valiosa tentativa de uniformizar o sistema, widgets também entraram no pacote e receberão uma das maiores repaginadas da sua história — dessa vez, mais bonitos, coerentes e com uma pitadinha de iOS.

Os widgets se tornaram parte central do Android em 2008, no Android Cupcake (versão 1.5, a terceira do sistema). Esse elemento de interface foi pensado como um complemento de aplicativos, um “caminho para monitorar informações com agilidade, completar tarefas ou se inspirar na própria tela principal”, como explicou a gerente de produto Diana Chen, durante uma das apresentações do Google I/O.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Widgets estão no núcleo do Android desde 2008 (Imagem: Reprodução/Google)

Além de ser uma peça importante para o uso cotidiano, widgets também servem como uma camada de personalização no Android. “Sabemos que usuários querem customizar sua experiência além do papel de parede, tanto no Android quanto no iOS”, complementou a executiva. De acordo com dados do SensorTower, um a cada sete usuários do iOS residentes dos Estados Unidos usam mais de um widget, e os mais populares estão relacionados a customização.

Considerando o uso da comunidade e a finalidade original dos widgets, o Google pretende exaltar a utilidade e a beleza da ferramenta nessa próxima transformação. Por isso, a companhia trabalha nos bastidores, através da construção de novas APIs, para dar mais espaço aos acessórios da tela principal, tornando-os mais úteis, informativos e interessantes para os usuários Android.

Widgets do Android 12 serão significativamente mais coerentes (Imagem: Reprodução/Google)

Segundo Chen, widgets poderão embarcar itens como caixas de seleção e interruptores por padrão a fim de serem mais independentes do app principal. Visualmente, as figuras serão mais responsivas, com um maior leque de animações. Mais robusto e descritivo, o menu de widgets exibirá cada um deles na íntegra e acompanhados por uma breve descrição de funcionalidades.

Permitir descobertas a partir do menu de widgets foi um dos pontos retrabalhados no Android 12 (Imagem: Reprodução/Google)

Consistência visual

Um dos efeitos do Google não ter dado atenção aos widgets do Android por gerações foi a falta de incentivo para atualização visual do elemento. Atualmente, widgets podem compor uma mistura desagradável que parece não se encaixar na tela do celular, gerando uma bagunça de informações e escolhas de design que não refletem uma experiência de ponta.

Para contornar esse efeito, o Android 12 fornecerá recursos aos desenvolvedores para que seus widgets se misturem melhor com outros elementos do sistema e, mais importante ainda, com os complementos de outros aplicativos. Essa adição trabalha nos mínimos detalhes, determinando padrões para cantos arredondados, espaçamento, cores e composição a fim de que tudo pareça fazer parte de um único software e fique mais atraente.

Widgets serão elemento indispensável para o Material You (Imagem: Reprodução/Google)

Conceito semelhante também foi seguido para os tamanhos dos widgets. O Google quer explorar mais possibilidades com proporções dos acessórios para adaptá-los aos dobráveis, por isso eles precisam ser construídos com foco na flexibilidade. As melhorias internas permitirão que os complementos mudem suas dimensões de acordo com o tamanho da tela em tempo real — para se adequarem à alternância de telas no Galaxy Z Fold 2, por exemplo.

Widgets também não ficaram de fora do tema dinâmico do Android 12. Desenvolvedores terão acesso aos parâmetros obtidos pela extração de cores do papel de parede e poderão implementá-los na paleta do complemento para que sejam coerentes com o resto do sistema.

A pressão da concorrência

O iPhone sempre esbanjou tremenda coerência visual até em aplicativos de terceiros e, quando entrou na moda de widgets, não foi diferente: o acessório chegou no iOS 14 cheio de elegância e uniformidade com o sistema, quase como se todos fossem soluções nativas — coisa que o Android não via há anos. Embora atrasado, o sistema da Apple superou as expectativas ao apresentar uma abordagem mais refinada, superior até que as versões alternativas do Android (One UI e MIUI), geralmente construídas com visual mais polido.

Elementos encaixam como luva na tela central do iPhone (Imagem: David Grandmougin/Unsplash)

O Google tentará mudar esse cenário ao adotar estratégia semelhante à da Apple: a identidade visual do Android 12 abraçará os widgets de terceiros, determinando padrões, e os fortalecerá com ferramentas refinadas de desenvolvimento para que embarquem na tela principal de forma mais leve. Assim, os componentes podem dividir uma mesma tela do celular sem destoar entre si e ainda se comportarem como ferramentas úteis para o dia a dia.

Atualmente, a versão beta do Android 12 ainda não introduziu os novos widgets. Mais padrões e mudanças visuais devem ser introduzidas ao longo do período de teste — que tem previsão para acabar em agosto ou setembro. O sistema ainda não tem data para ser lançado, mas já dá para experimentar gratuitamente se você tiver um dos dispositivos compatíveis com o programa beta. No mais, se você é desenvolvedor e quer saber em detalhes como pode introduzir as novidades ao seu widget, o portal de desenvolvedores do Google disponibiliza a documentação completa.

Fonte: Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.