Windows 11 parece ter começado a fechar o cerco em computadores sem TPM 2.0

Windows 11 parece ter começado a fechar o cerco em computadores sem TPM 2.0

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 16 de Setembro de 2021 às 11h19
Reprodução/How-to Geek

Com a chegada da nova prévia do Windows, que teve como destaque uma leve mudança no Menu Iniciar, a Microsoft parece estar interessada em focar na obrigatoriedade do TPM 2.0 para o funcionamento do sistema operacional. Usuários começaram a relatar a retomada de uma mensagem que apavorou muita gente logo no lançamento da primeira versão.

Ao contrário do que muita gente pensava, que a empresa fosse liberar os computadores da exigência, a atualização reforça a obrigatoriedade da presença do módulo para máquinas virtuais com o Windows 11. Se o usuário quiser avançar para a build 22458, a mais recente, será obrigado a garantir compatibilidade com o TPM 2.0 e com o Secure Boot.

(Imagem: XatakaWindows/Twitter)

Não há informações se isso se aplica também aos usuários do sistema em modo nativo, sem o intermédio de uma máquina virtual. Aqui no Canaltech, mesmo em computadores sem compatibilidade total de hardware, essa mensagem de erro não apareceu, o que pode significar algo limitado às Virtual Machines (ao menos por enquanto).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No Twitter, vários usuários reclamam sobre o aviso que começaram a receber:

Como mostra a imagem abaixo, a Microsoft já havia esclarecido que os testadores que não cumprem os requisitos mínimos do Windows 11 poderão continuar a executar o programa, mas não garantiu que eles receberiam as atualizações recentes.

Máquinas que não satisfazem os requisitos poderiam ter limitações, segundo a companhia (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Não está claro se as mensagens de erro foram apenas uma falha ou se, de fato, as pessoas ficarão travadas na build atual, o que poderia trazer riscos de segurança e problemas de compatibilidade. Há relatos também da exigência de mais espaço em disco, problemas com dispositivos de áudio e outros bugs aparentemente novos.

No perfil oficial do programa Insiders no Twitter (@windowsinsider), a empresa parece estar de olho nas reclamações, mas, por enquanto, não há posicionamento atualizado da fabricante, então o jeito é aguardar por novidades.

Fonte: MSPowerUser  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.