TV: a septuagenária que encanta pessoas de todas as idades

Por Igor Krauniski | 02 de Dezembro de 2020 às 10h00

Se existe uma septuagenária que faz sucesso com pessoas de todas as idades é a televisão. Ela está cada dia mais moderna, mas já viu (e transmitiu) cada coisa… No Brasil, o aparelho completa 70 anos de história em 2020, cheio de causos para contar.

Quando ainda era uma criança, lá em 1950, não tinha essa história de streaming, smart TV ou sincronização com celular. Os aparelhos eram equipados com um botão só — e você ainda precisava se levantar para trocar de canal (não que tivessem muitos). Nessa época, os monitores funcionavam com uma tecnologia bem mais arcaica, chamada CTR (Cathode Ray Tube). E enquanto hoje a gente busca imagens cada vez mais realistas, nos primórdios as transmissões eram apenas em preto e branco.

A TV já era uma jovem adulta quando suas exibições ganharam cores — isso, lá em meados de 1970. E que grande passo esse seria! Poder ver diferentes tons na tela não revolucionou apenas o mercado tecnologicamente, mas também nossa maneira de consumir esporte, notícias e entretenimento. Tudo precisou ser repensado para essa novidade.

E lembra que falamos sobre levantar-se para trocar o canal? Pois bem, controle remoto é coisa da década de 1980, quando a televisão estava entrando na flor da idade e ainda usando o CTR como sua tecnologia principal. Nas três décadas seguintes, as mudanças foram muitas — e rápidas. A partir da década de 1990, as transformações das telas e qualidade de transmissão deram um salto. E o primeiro passo nessa direção foi o surgimento do LCD, lembra dela?

A novidade era mais leve e com mais qualidade do que a TV em CTR, que nos acompanhou por tantos anos — e, se bobear, ainda conseguimos encontrá-la na casa de alguns avós por aí. Em duas décadas, ainda mais opções surgiram. Primeiro foram as em plasma, que tinham melhor qualidade de imagem, mas que também consumia mais energia, seguida pela em LED. Já bateu uma sensação de “nossa, é mesmo!” por aí?

Em 2013, a LG fez um feito histórico: lançou a primeira TV com tecnologia OLED. De lá para cá, a TV mudou de shape, ficou mais “turbinada”, com imagens superdefinidas e está cada dia mais indispensável em nossas vidas: se não estamos zapeando canais ou assistindo a programas, estamos jogando videogame, curtindo uma série ou usando a tela como device para participar de videoconferências, por exemplo.

Hoje, se olharmos o portfólio da marca, muito mudou — para melhor! Temos até tecnologias que transmitem imagens em 8k, como é o caso da NanoCell. Os novos modelos de aparelhos de TV ganharam até uma função para proteger a saúde ocular. Fica aí a curiosidade: que histórias a TV vai mostrar e como ela vai evoluir nas próximas sete décadas?

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.