Termos anti-fragmentação do Android podem barrar avanço do Amazon Fire TV

Por Rubens Eishima | 12 de Março de 2020 às 09h25

Após o sucesso da linha Fire TV de aparelhos para streaming, a Amazon passou a oferecer seu sistema para fabricantes de eletrônicos como opção para Smart TVs, iniciativa que não teve tanto sucesso. Segundo um artigo do site Protocol, o motivo para isso são os termos de uso que o Google impõe a fabricantes que usam o sistema Android.

Os termos de uso são os mesmos usados pela empresa para evitar a fragmentação do Android em smartphones. Confidenciais, o pouco que se sabe sobre eles é que permitiriam que o Google retire o acesso dos fabricantes a serviços como a Play Store e os aplicativos da empresa, caso a licenciada – LG, Motorola, Samsung, Sony, etc. – utilize versões modificadas do sistema Android em seus aparelhos.

De acordo com o Protocol, o contrato válido para smartphones se aplica a quaisquer aparelhos vendidos pelos fabricantes, o que excluiria o sistema Fire TV – derivado do código-fonte do Android – dos televisores de empresas que usam o Android, seja em smartphones, seja em TVs.

“Eles não podem oferecer o Android TV e o Fire TV simultaneamente”, disse um funcionário de uma fabricante à matéria. A consequência da quebra do acordo seria perder acesso aos aplicativos do Google em todos os seus aparelhos.

A situação fica ainda mais complicada ao considerar a situação atual em que as empresas licenciam suas marcas para terceiros, muitas vezes diferentes de região para região. Um exemplo é a Toshiba, que nos Estados Unidos é licenciada para a fabricante taiwanesa Compal e usa o sistema Fire TV, mas na Europa e Ásia é marca da chinesa Hisense e usa Android TV, (algo parecido com o que acontecia até recentemente no Brasil, onde os japoneses eram representados pela Semp).

Os termos do contrato com o Google não se aplicam a outros sistemas não derivados do Android, o que permite que os fabricantes usem sistemas como o WebOS (da LG), Tizen (Samsung), Saphi ou Roku, nos dois últimos, algumas empresas também vendem aparelhos com Android TV em sua linha de produtos, caso da Philips, Hisense, Sharp e TCL, por exemplo.

Marcas de TV com o Android TV

  • Hisense;
  • Panasonic (apenas na Índia, no Brasil as TVs usam um sistema próprio, derivado do FirefoxOS);
  • Philips;
  • Sharp;
  • Sony;
  • TCL;
  • Tesla (homônima no leste europeu da fabricante de carros);
  • Toshiba (na Ásia, sob licença para a Hisense);
  • Xiaomi.

Marcas de TV com o Fire TV

  • Toshiba (nos EUA, sob licença para a Compal);
  • Insignia (nos EUA, marca própria da rede de lojas Best Buy);
  • Grundig (na Europa).

Fonte: Protocol

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.