TIM oferecerá 5G fixo com sistema “self service” em setembro

Por Rubens Eishima | 22 de Julho de 2020 às 14h45
TIM
Tudo sobre

TIM

Saiba tudo sobre TIM

Ver mais

Diretor de engenharia da TIM Brasil, Marco di Constanzo participou de um fórum online de telecomunicações e revelou os planos da empresa para o início da operação comercial com o 5G. A TIM oferecerá o serviço inicialmente em três cidades a partir de setembro — usando o sistema DSS — voltado para a banda larga fixa. Além disso, a instalação ficará a cargo do assinante, dispensando a visita de um técnico da operadora.

Enquanto não acontece o leilão das novas frequências específicas para o 5G, a estratégia adotada pela operadora é semelhante à das rivais Claro e Vivo, usando a técnica DSS, que aproveita a atual estrutura física e de frequências usada pelo 4G LTE.

Diferentemente das rivais, porém, a TIM deve priorizar o serviço de banda larga fixa sem fio (FWA, fixed wireless access), que usa a estrutura da operadora móvel para oferecer acesso de alta velocidade dentro de residências e estabelecimentos comerciais. O funcionamento é semelhante aos atuais planos 4G domésticos das operadoras — caso do TIM Live Internet, Vivo Box ou Claro Internet Móvel.

Distanciamento social

A descrição dada por di Constanzo para o tipo de venda parece alinhado com o período de pandemia da COVID-19: “zero touch, self-provisioning e self-caring” (zero toque, autoprovisionamento e autogerenciado, em tradução direta).

Com esse tipo de venda, o assinante ficará responsável por comprar, retirar e instalar o equipamento em sua própria casa/estabelecimento. Além disso, os testes, verificações de sinal e configuração inicial ficarão sob a responsabilidade do cliente. Ao mesmo tempo em que isso permite uma maior flexibilidade no local de instalação do dispositivo, pode resultar também em uma experiência de uso abaixo do ideal caso algo dê errado.

Três cidades

A operação do 5G DSS FWA começará por três municípios: Bento Gonçalves (RS), Itajubá (MG) e Três Lagoas (MS). O diretor da TIM destacou que a opção por atender as cidades é diferente da estratégia da Claro e da Telefonica, que oferecerão a rede de nova geração em poucos bairros de algumas capitais.

O executivo revelou ainda que a TIM assinou um contrato de fornecimento de equipamentos de infraestrutura para os próximos três anos. Os componentes adquiridos — cujo fornecedor não foi mencionado — já estarão prontos para a operação 5G, bastando uma atualização de software como acontece nas estações que tiveram upgrade para o 5G DSS.

Fonte: Mobile Time

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.