Huawei "contrata" Michel Temer para evitar banimento no 5G

Por Felipe Junqueira | 21 de Janeiro de 2021 às 18h00
Reprodução/Agência Brasil
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

A Huawei contratou o ex-presidente da República, Michel Temer, para evitar que a empresa seja banida do mercado de telecomunicações brasileiro, informa o site Tele Síntese. De acordo com a publicação, Temer elaborará um parecer jurídico em nome da companhia para garantir que ela participe do 5G no país.

O ex-presidente já atuou como professor de Direito Constitucional e possui proximidade com o atual mandatário do executivo nacional, Jair Bolsonaro, bem como tem uma boa quantidade de aliados no Congresso Nacional. Isso teria pesado a favor de Temer, que pode ser chamado a apresentar seu relatório às comissões da Câmara e do Senado que vão debater o eventual banimento da empresa no 5G brasileiro.

Por enquanto, Bolsonaro declarou que não pretende barrar empresas chinesas do leilão do 5G, que deve ser realizado em algum momento este ano. O Brasil também precisa da China como aliada em um momento em que é difícil conseguir insumos para produzir vacinas contra a COVID-19 e combater a pandemia que se arrasta desde o ano passado.

Ainda assim, a Huawei põe em prática um plano para garantir que não apenas participe do leilão como também seja habilitada a fornecer equipamentos para a quinta geração da banda larga móvel no país. Na semana passada, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, teria se reunido, por videoconferência, com as cinco maiores operadoras do país para tratar da presença da Huawei no 5G.

Também foi tratada na reunião uma viagem que o ministro deve fazer a partir de 2 de fevereiro para visitar as sedes de empresas com experiência na rede 5G, incluindo Ásia, região para a qual o roteiro ainda não definido, Finlândia e Suécia, onde ficam as sedes de Nokia e Ericisson, respectivamente.

Em dezembro, Faria já havia deixado o caminho para a participação da Huawei no leilão do 5G relativamente aberto. Os sinais mais recentes apontam que a empresa poderá realmente atuar na tecnologia no país.

Fonte: Tele Síntese

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.