Governo exige "padrão europeu" no atendimento das operadoras de telefonia móvel

Por Redação | 01 de Agosto de 2012 às 17h29

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira (1) que o governo quer que as operadoras de telefonia móvel desenvolvam um "padrão de atendimento europeu" para os clientes brasileiros.

Operadoras

O governo deverá votar uma MP que determina isenção fiscal para as empresas que investirem em redes de banda larga

Segundo a Agência Brasil, o ministro considera que as punições e a proibição da venda de novos chips em alguns estados brasileiros pelas operadoras Claro, Oi e TIM foram essenciais para fazer as empresas repensarem seus serviços e investirem em um atendimento melhor aos seus clientes.

"As empresas terão de ampliar os investimentos porque o Brasil é um mercado que continuará como o queridinho delas. Agora queremos padrão europeu de atendimento", afirmou Bernardo.

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) tem observado melhorias no planos de investimentos apresentados pelas empresas para os próximos dois anos, mas acredita que as companhias ainda têm coisas a acrescentar em suas propostas. O ministro também afirmou que um dos principais agravantes para a agência tomar a decisão de proibir as vendas foi a falta de treinamento e eficácia nos atendimentos de call centers.

Desde o dia 23 de julho, a Claro, a Oi e a TIM estão proibidas de vender novos números e caso descumpram a ordem, receberão multas diárias de R$ 200 mil.

O Senado deve votar no dia de 7 agosto a validação de uma medida provisória (MP) que insenta de impostos as empresas que investirem em infraestrutura e tecnologia na construção de redes de banda larga no país.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.