Um terço de todos os smartwatches vendidos em 2019 são da Apple, diz estudo

Por Rafael Rodrigues da Silva | 02 de Maio de 2019 às 19h50

Ainda que a Apple esteja perdendo cada vez mais sua fatia de mercado no segmento de smartphones, o mesmo não é verdade quando falamos de smartwatches, setor que a empresa de Cupertino continua dominando — com folga.

De acordo com um relatório sobre o mercado de smartwatches divulgado nesta quinta-feira (2) pela Counterpoint Research, o primeiro trimestre deste ano (período entre janeiro e março) apresentou um crescimento de 48% no mercado de smartwatches quando comparado com o mesmo período do ano passado.

E, como esperado, a Apple continua dominando o setor: nos primeiros três meses de 2019, 35,8% de todas as vendas de smartwatches do período foram de aparelhos Apple Watch. Isso quer dizer que um terço de todos os equipamentos deste tipo vendidos no mundo, no período analisado, foram da Apple.

Função de ECG foi o que fez os consumidores procurarem pelo Apple Watch 4 (Imagem: Apple)

Segundo a Counterpoint, as vendas do Apple Watch cresceram cerca de 49% no período, muito devido à popularidade do Apple Watch 4. De acordo com os clientes que participaram da pesquisa, o que fez com que eles comprassem o aparelho não foi a tela maior ou o melhor hardware do aparelho, mas sim a função de eletrocardiograma — o que mostra que a aposta da Apple em soluções para saúde está rendendo frutos positivos.

Logo em seguida à Apple está a Samsung, com um distante segundo lugar. Ainda que as vendas da empresa tenham crescido 127% em relação ao mesmo período do ano passado por causa da popularidade do Galaxy Watch, a Samsung ainda possui apenas 11,1% do mercado de smartwatches do mundo — um número 7,2% maior do que no que no primeiro trimestre de 2018, mas ainda muito atrás da Apple para ser considerado um adversário a ser temido.

Galaxy Watch Active é considerada como uma boa alternativa para usuários de Android (Imagem: Samsung)

De acordo com a Counterpoint, estes números crescendo para a Samsung se devem ao Galaxy Watch Active, que se mostrou uma boa alternativa ao Apple Watch para os usuários de Android, o que garante que, caso continue trilhando por esse caminho, a sul-coreana tenha como crescer muito mais nos próximos anos.

Seguindo a Samsung estão a Imoo (terceiro lugar), a Fitbit (quarto lugar) e a Amazfit da Xiaomi (quinto lugar). Quem mais decepcionou neste período foi a Huawei, que amargou o sexto lugar na lista das empresas que mais venderam smartwatches, com apenas 2,8% dos modelos vendidos no mundo em 2019, até então.

Mesmo que ainda esteja longe da dominância que a marca apresenta no mercado de smartphones, onde vem brigando com a Samsung pelo título de maior empresa do mundo, a companhia chinesa apresentou um crescimento até que decente, já que no mesmo período de 2018 a empresa era responsável por apenas 0,5% dos smartphones vendidos no mundo.

Huawei Watch GT tem chamado a atenção principalmente pelo preço (Imagem: Huawei)

Segundo a Counterpoint, o Huawei Watch GT, que foi lançado em outubro, tem feito bastante sucesso entre os usuários, pois apresenta especificações de hardware interessantes por um preço mais em conta. Outro fator que tem contribuído para o crescimento da companhia foi a divisão das marcas Huawei (pela qual a empresa está lançando smartwatches) e Honor (pela qual está lançando pulseiras fitness), o que ajudou a aumentar as vendas da empresa em ambos os segmentos.

Já para o futuro, a agência de pesquisas acredita que a ascensão das telas dobráveis fará com que modelos como o recente Nubia Alpha passem a ser cada vez mais procurados pelos consumidores, mas avisa que esse tipo de design de smartwatch não deve se tornar algo comum antes de 2025.

Fonte: Phone Arena

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.