Xiaomi ultrapassa Huawei em mês de forte queda nas vendas de smartphones

Por Felipe Junqueira | 20 de Março de 2020 às 17h20
Android Authority
Tudo sobre

Xiaomi

Saiba tudo sobre Xiaomi

Ver mais

Apesar dos bons resultados financeiros e de vendas de smartphones durante o ano de 2019, a Huawei já começa a mostrar perda de força no mercado global. Em fevereiro, segundo dados da Strategy Analytics, a companhia foi ultrapassada pela Xiaomi no total de celulares enviados às lojas.

Mas o mês de fevereiro foi ruim para todas as fabricantes. O mercado global encolheu 38% no número de unidades fabricadas e 39% no total de produtos vendidos, quando comparado a fevereiro de 2019. A líder Samsung, por exemplo, enviou 18,2 milhões de aparelhos, queda de 13%, enquanto a Apple teve volume 27% menor na comparação com o segundo mês do ano passado, totalizando 10,2 milhões de celulares vendidos.

A Xiaomi, que ultrapassou a Huawei pela primeira vez no total de unidades mensais embarcadas, totalizou 6 milhões de dispositivos em fevereiro, queda de 32% comparado ao mesmo mês de 2019. Huawei teve o pior cenário, com apenas 5,5 milhões de unidades enviadas, redução de 69% comparado a fevereiro do ano anterior.

Oppo e Vivo fecham a listagem com 4 milhões e 3,6 milhões de unidades embarcadas, queda de 49% e 54%, respectivamente, na comparação com o mesmo período de 2019. Outras fabricantes não foram especificadas pela Strategy Analytics.

Xiaomi sobe e Huawei desce

Para entender a ultrapassagem da Xiaomi sobre a Huawei, é necessário analisar os números de todos os meses mostrados pelo relatório. Em outubro, a fabricante chinesa que sofre com sanções americanas ainda estava à frente da Apple em vendas globais. A Maçã tem mais méritos próprios pela ultrapassagem, pois teve um último semestre de 2019 muito bom, ficando até mesmo à frente da Samsung no período.

Enquanto isso, a Huawei viu seus números despencarem mês a mês. A chinesa fechou 2019 com mais smartphones embarcados do que a Apple, e não muito longe de Samsung. Possivelmente, a sanção americana só começou a surtir efeito nos três últimos meses, quando a companhia já não lançava mais nenhum aparelho com serviços Google.

A Xiaomi é um caso curioso. Note que, mês a mês, o total de unidades embarcadas não muda muito. Foram 10,5 milhões em outubro, 11 milhões em novembro, 11,5 milhões em dezembro e 10 milhões em janeiro. Em fevereiro, caiu para 6 milhões, mas só a Samsung não teve uma queda tão brusca, comparado ao mês anterior.

A ultrapassagem da Xiaomi sobre a Huawei não é irreversível. Porém, enquanto o mundo encara uma pandemia e a economia ameaça entrar em colapso, comprar um novo smartphone não fica no topo da lista de preocupações de ninguém. Os números de março e abril têm tudo para serem ainda piores que os de fevereiro.

Você concorda? Conta pra gente nos comentários.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.