Huawei cresce na China enquanto Apple e outras amargam queda nas vendas em 2020

Huawei cresce na China enquanto Apple e outras amargam queda nas vendas em 2020

Por Felipe Junqueira | 29 de Janeiro de 2020 às 12h30
Reprodução

A Huawei ainda enfrenta o embargo imposto pelo presidente Donald Trump de vender produtos nos Estados Unidos e até mesmo negociar com empresas do país. Mas isso não foi, nem de longe, um grande problema para os resultados da empresa no ano passado. Além de ter superado o número de smartphones vendidos em 2018 ainda no mês de outubro de 2019, a companhia apresentou crescimento na China, mesmo com uma retração no mercado local.

De acordo com dados da consultoria Canalys, a Huawei saltou de 104,8 milhões de smartphones vendidos na China em 2018 para 142 milhões no ano passado, um crescimento de 35,5%. E em um ano que os chineses optaram por segurar o upgrade, no aguardo da rede 5G e de mais modelos com suporte à internet mais veloz e com menor latência.

Enquanto a Huawei expandiu na China, principalmente por um sentimento patriótico dos habitantes locais, de acordo com avaliação da Canalys, tanto a Apple como outras concorrentes locais foram em um movimento oposto, vendendo menos aparelhos durante o ano de 2019 quando comparado com o ano anterior.

Tabela mostra evolução das vendas de smartphones na China de 2013 a 2019, por trimestre (Imagem: Canalys)

A Apple caiu 21% na comparação ano a ano, somando 27,5 milhões de unidades vendidas. A Xiaomi também perdeu 21% de seu mercado, contra 17% e 19% de Oppo e Vivo respectivamente. No geral, o mercado chinês apresentou queda de 15% nas vendas entre 2018 e 2019, principalmente por conta da espera pelo 5G.

Números mostram reação da Apple

Tabela mostra total de unidades vendidas e cresimento de cada fabricante na China em 2020 (Imagem: Canalys)

Apesar da forte queda, a Apple tem motivos para comemorar. No último trimestre do ano, já com o iPhone 11 nas prateleiras e um campanha mais agressiva, com descontos no preço do aparelho, a queda foi de apenas 12% comparado com as vendas do mesmo período no ano anterior. No terceiro trimestre, a queda foi de 28%.

Não à toa, a empresa considerou a campanha de redução dos preços um sucesso. Além disso, o iPhone 11 é o modelo 4G que mais vende no país, enquanto os outros modelos da Maçã apresentam pouca saída, explica Nicole Peng, analista da Canalys. Ela acredita que, em 2020, com um iPhone 5G, a Apple possa apresentar resultados melhores que em 2019.

Otimismo na Huawei

Huawei domina ainda mais o mercado considerando apenas modelos 5G (Imagem: Canalys)

Enquanto enfrenta os efeitos do embargo americano no Ocidente, a Huawei celebra aumento das vendas em seu país natal, motivados por um marketing agressivo e um sentimento patriótico dos chineses. Além disso, a empresa já lançou quatro modelos com suporte ao 5G e soma 75% dos 8,9 milhões de modelos do tipo vendidos na China.

Não é à toa que a companhia segue otimista em atingir a liderança do mercado em algum momento no futuro, mesmo com as dificuldades impostas pelos EUA e sem poder usar serviços do Google. A empresa também acredita que o embargo ainda pode cair, o que ajudaria a retomar o crescimento no ocidente.

O que você acha? A Huawei ainda pode chegar à liderança em vendas de smartphones no mundo ou ainda é cedo para dizer que o embargo não afetou a empresa?

Fonte: Canalys

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.