Vídeo oficial da Samsung mostra como o Galaxy Fold é um aparelho frágil

Por Rafael Rodrigues da Silva | 23 de Setembro de 2019 às 15h05
TechRadar
Tudo sobre

Saiba tudo sobre Galaxy Fold

Ficha técnica

Apesar de não mais ser o primeiro smartphone dobrável a chegar ao mercado como a Samsung esperava, o Galaxy Fold ainda é um dos aparelhos mais esperados do ano - e, quatro meses depois da data planejada, o aparelho finalmente parece estar chegando às lojas. E a curiosidade de todos é a mesma: será que o Galaxy Fold é um smartphone mais resistente do que a primeira versão?

Independente da resposta (spoiler: é, mas não muito), a Samsung soltou na última quinta (19) um novo vídeo sobre o aparelho que serve não apenas para nos introduzir ao telefone, mas também como um alerta para a real fragilidade dele. E, ainda que a Samsung garanta ter corrigido os problemas da versão anterior do aparelho, que foram analisadas pela imprensa no primeiro semestre, não é isso que aparenta pelo vídeo.

Um dos problemas encontrados nas primeiras versões era com a película da tela, que caso fosse retirada fazia com que a tela toda parasse de funcionar. O vídeo não fala exatamente sobre o problema de retirar a película, mas deixa claro que ela ainda existe e que não é preciso colocar qualquer outro tipo de película protetora adicional no aparelho. O vídeo também fala sobre cuidados na hora de usar a tela, pedindo o uso de apenas toques delicados e evitar até mesmo pressionar o display com força. Apesar do vídeo da Samsung não deixar claro a razão, um teste feito por um YouTuber descobriu que é possível amassar a tela com a unha sem precisar fazer muita força, então dá para entender porque a fabricante tem dado muito foco nesse uso de toques leves.

Outro problema encontrado no modelo inicial era a fragilidade do aparelho contra água e poeira e, pelo vídeo, essa fragilidade continua. Isso porque a Samsung pede para que se evite molhar ou deixar poeira acumular em cima da tela, pois esses elementos podem entrar no mecanismo de dobragem do painel e atrapalhar o funcionamento. A empresa também pede para que se deixe o Fold longe de objetos magnéticos (como moedas, chaves, cartões de crédito e qualquer item de metal), pois eles também podem interferir no funcionamento do aparelho.

Assim, fica claro que o Galaxy Fold será realmente um smartphone para poucas pessoas: não apenas em função do preço (cerca de US$ 2.000), mas pelo fato de que ele deverá ser guardado numa redoma especial e protegido como um tesouro, já que o uso diário comum para qualquer smartphone pode ser demais para o aparelho.

Fonte: YouTube

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.