Review Redmi Note 9 | Um bom celular intermediário

Review Redmi Note 9 | Um bom celular intermediário

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 29 de Julho de 2021 às 17h00
Ellen Monike/Canaltech

Se você é o tipo de pessoa que costuma comprar um celular levando em conta seu custo-benefício, o Redmi Note 9 pode ser uma ótima opção. Lançado em 2020, esse é um dos modelos intermediários da Xiaomi que entrega performance razoável sem cobrar preços exorbitantes.

Pude utilizá-lo por três dias direto, onde usei o celular como meu principal aparelho para fotos, vídeos, aplicativos de streaming e navegação no geral. Confira a minha experiência de uso na análise.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Prós

  • Boa autonomia da bateria;
  • Bom desempenho;
  • Entrada P2 para fone de ouvido.

Contras

  • Apenas 3 GB de RAM na versão de 64 GB;
  • Lente macro e lente de profundidade não muito boas;
  • Notch para câmera frontal atrapalha no design do celular.
  • Confira o preço atual do Redmi Note 9.

Confira o preço atual do Redmi Note 9

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Design e Construção

O Redmi Note 9 é um celular intermediário que faz parte da família Note 9 lançada em 2020 pela Xiaomi. Com sua tela em 6,53 polegadas e resolução full HD (1080p), esse modelo entregará boa qualidade de imagem no geral.

Por ser um celular intermediário, possui tela de vidro, com lateral e costas em plástico, algo totalmente esperado. Também conta com proteção Gorilla Glass 5, o que garante maior segurança e tranquilidade ao utilizá-lo.

  • Dimensões: 162,3 x 77,2 x 8,9 mm
  • Peso: 199 gramas

Temos os botões de liga/desliga e aumento/diminuição do volume na lateral do aparelho, além das conexões USB-C e P2 localizados na parte inferior. O bloqueio/desbloqueio do celular é feito através do leitor de digitais posicionado na lateral. Por fim, a gaveta de chips conta com três slots. Dois deles dedicados exclusivamente para os chips das operadoras e o último abriga o cartão de expansão.

O único “problema” do Note 9 é a localização do notch para a câmera frontal. Como ele aparece destacado do resto da tela, esse elemento acabou me distraindo no uso do dia a dia enquanto assistia a vídeos ou jogava algum game. Não considero isso um grande problema, mas me incomodava bastante.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Tela

A tela de 6,53 polegadas do Note 9 garante tamanho de sobra para ver seus vídeos, fotos ou navegação no geral. A resolução full HD (1080p) também garante boa qualidade e nitidez nas imagens apresentadas.

O painel é IPS LCD, o que pode ser considerado desvantagem em alguns pontos. Apesar de a imagem ser bem reproduzida pela tela, acaba gastando mais bateria em comparação ao OLED, que só “liga” os pixels quando há necessidade. O brilho é outro ponto a ser observado, já que telas LCD mais simples não costumam ser muito boas nesse ponto, e com esse modelo isso não seria diferente.

Por se tratar de um aparelho intermediário, possui taxa de atualização de 60 Hz, o que é perfeitamente aceitável para esse tipo de celular, ainda mais se considerarmos que se trata de um modelo de 2020.

Configuração e Desempenho

O chipset Helio G85 foi o escolhido pela Xiaomi na construção desse celular. Apesar de a MediaTek ter alguns problemas no passado com a performance desse componente, esse aparelho traz uma agradável surpresa.

Utilizei o Note 9 para jogar Call of Duty: Mobile e notei que, mesmo se tratando de um jogo de última geração, não tive nenhum problema em relação ao desempenho entregue. Naturalmente, não teremos os melhores gráficos disponíveis, mas a performance é ótima para um modelo intermediário.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

A utilização durante o teste que eu realizei também foi satisfatória. Não tive quaisquer problemas com travamentos durante o período que eu o usei. O Redmi também se mantém frio, mesmo após longo período de uso – seja ele jogando, ou navegando normalmente.

Esse celular conta com Wi-Fi ac (também chamado de Wi-Fi 5), Bluetooth 5.0 e suporte às tecnologias 4G e NFC. O Redmi Note 9 possui as versões de 64 GB com 3 GB de RAM e 128 GB com 4 GB de RAM, mas é bom deixar claro que os testes realizados para esta análise foram feitos com o aparelho de 128 GB de espaço e 4 GB de RAM.

Câmera

O Redmi Note 9 possui câmeras com boa qualidade no geral. Se você não é um usuário exigente nessa parte, com certeza vai gostar do que esse modelo tem a oferecer. As capturas realizadas com luz natural são boas. Mesmo utilizando o modo automático, você não terá quaisquer problemas em conseguir imagens bonitas.

Mas, como nem tudo são rosas, o modo macro e o modo noturno acabam deixando por desejar. Esse aparelho possui quatro sensores na traseira – 48 MP e abertura f/1.79 (principal); 8 MP e abertura f/2.2 (grande-angular); 2 MP e abertura f/2.4 (macro); 2 MP e abertura f/2.4 (teleobjetiva) –, e um, na face frontal – 13 MP abertura f/2.25.

Câmera principal

O Note 9 entrega boas capturas com a lente principal. Em ocasiões em que a foto é tirada na luz natural, é possível conseguir boas fotos sem muito esforço.

Já o modo noturno acaba pecando na qualidade. Mesmo a Xiaomi sendo reconhecida pelo excelente pós processamento das imagens, você, infelizmente, não conseguirá algo muito legal por aqui.

Inclusive, isso também se aplica para o zoom óptico desse modelo. Durante o dia, ele funciona sem nenhum problema e garante uma aproximação sem grandes defeitos. Já à noite, acaba não se adaptando muito bem, entregando uma captura borrada.

Câmera grande-angular

O sensor grande-angular é um dos problemas desse celular. As cores ficam com aspecto de “lavadas”, além de a imagem ficar desfocada e com qualidade inferior. Se você costuma utilizar muito esse tipo de lente, seria válido considerar outro modelo.

(Imagem: Amanda Abreu/Canaltech)

Câmera macro

Lentes macro costumam ser o maior problema dos modelos intermediários no geral, e no Note 9, isso não seria diferente. Seus 2 MP não conseguem realizar capturas com qualidade satisfatória, mesmo que tenhamos boa luminosidade no local.

Câmera frontal

Se você gosta de tirar fotos para as suas redes sociais, com certeza vai gostar do que esse modelo tem a oferecer. Mesmo com pouca luz, consegui tirar selfies razoáveis sem nenhum problema. O modo retrato também foi bastante preciso ao realizar os registros, sem nenhum inconveniente.

Sistema de Som

O sistema de som do Redmi Note 9 é simples, mas entrega boa qualidade no geral. Diferentemente de outros aparelhos – incluindo o Note 9T –, o Note 9 conta somente com uma única saída de áudio para vídeos, músicas e jogos, localizado na parte inferior do celular.

Se você não é um usuário extremamente exigente, com certeza não se incomodará com o som em si. A única questão que me incomodou foi o volume um pouco baixo mesmo no máximo. Mas novamente, isso não torna o som do aparelho um problema em seu uso.

Esse modelo também possui uma entrada exclusiva para fones de ouvido (P2), o que me agrada bastante.

Bateria e Carregamento

O Redmi Note 9 tem uma bateria de 5.020 mAh, um número muito positivo para esse aparelho. Para que eu pudesse avaliar a autonomia da bateria, realizei dois testes. Em ambos, utilizei o brilho da tela e volume em 50%, além do Wi-Fi ligado durante todo o tempo.

O primeiro é referente ao uso do dia a dia. No segundo testei a autonomia da bateria em aplicativo de streaming. Nesse teste, utilizei o celular pelo período de 8 horas, usando meus aplicativos de redes sociais, WhatsApp, jogos e câmera – gravando vídeos e tirando fotos. Comecei esse teste com a bateria em 100%, terminando o período em 80%. Classifico meu uso de celular como intermediário, logo, considero esse número algo bastante positivo.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

No segundo teste, utilizei o aplicativo de streaming da Netflix para avaliar a performance da bateria. Ao final de três horas foram utilizados 15% da carga, entregando uma autonomia total estimada de 20 horas de reprodução.

Apesar da tela ter 6,53’’, a frequência de 60 Hz possibilita o uso do celular por longos períodos. Mesmo se você for um usuário “hardcore”, esse aparelho com certeza lhe atenderá sem nenhum problema, e você não ficará sem seu celular durante o dia.

O Redmi Note 9 é um ótimo aparelho intermediário. Se você procura um bom celular, aliado a uma bateria de grande autonomia, com certeza vai gostar do que ele tem a oferecer.

Concorrentes Diretos

Os principais concorrentes do Note 9 são o Motorola G30 e o Galaxy A21s. Começando pelo G30, as principais diferenças positivas entre ele e o Redmi, é a qualidade dos sensores, a taxa de atualização da tela maior (90 Hz), mais memória RAM e chipset mais potente.

Já o Galaxy A21S tem configurações bem semelhantes ao Note 9, possuindo, somente, duas únicas diferenças: maior memória RAM e melhor chipset, sendo que o restante das características do aparelho são bastante parecidas.

Dos dois concorrentes diretos, o único que não tem gaveta dedicada para micro SD é o G30. Caso você não queira abrir mão dos seus dois chips de operadora, será necessário avaliar a escolha dos modelos.

Conclusão

O Note 9 é um celular intermediário feito, exclusivamente, para quem procura um bom celular sem gastar muito. Com tela grande, aliado a uma bateria de 5.020 mAh, ele se torna uma opção viável dentre tantos aparelhos disponíveis no mercado, principalmente por conta do seu custo-benefício.

Apesar de não entregar a melhor qualidade em suas câmeras, você com certeza não ficará desapontado com o resultado que conseguir. E se, assim como eu, você também gosta de alimentar suas redes sociais com suas selfies, o sensor frontal fará um ótimo trabalho sem muita dificuldade.

Se você também gostou do Redmi Note 9, confira o nosso link para garantir o menor preço do momento.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.