Contaminação de memórias da WD pode aumentar preço de celulares

Contaminação de memórias da WD pode aumentar preço de celulares

Por Eduardo Moncken | Editado por Wallace Moté | 11 de Fevereiro de 2022 às 14h10
Divulgação/Western Digital

Está achando os preços de componentes para computador caros? Então se prepare: ao menos os SSDs poderão aumentar mais. E tudo isso porque a Western Digital detectou um problema grave envolvendo o armazenamento de seus componentes.

A empresa notificou o mercado que 6,5 bilhões de gigabytes em memória flash foram contaminados em suas instalações, impossibilitando seu uso. Isso significa dizer que, por exemplo, componentes para mais de 50,7 milhões de SSDs de 128 GB mofaram.

O número é astronômico, e em avaliações da empresa de análise TrendForce, pode significar um aumento significativo de preços para o consumidor industrial, e até para o consumidor final, nos próximos meses. Isso porque a tendência é de que a WD compense essas perdas aumentando o preço dos seus insumos. Clássico caso de oferta e demanda.

Western Digital perdeu quantidade astronômica de insumos (Imagem: Divulgação/Western Digital)

O problema foi detectado ainda em janeiro, e notificado para companhias parceiras, como a Toshiba. Esta última é responsável por memória de armazenamento de iPhones, iPads e Macs. Até então, nem a WD, ela, ou a Apple formalizou a detecção de problemas em dispositivos já lançados. Assim, não há necessidade de recall — por enquanto.

Problemas para a Apple?

Estimativas mostram que a Western Digital é responsável por 30% do marketshare de memórias NAND/SSD. O baque na sua produção poderá ser significativo ao longo de 2022. E uma preocupação é que, por tabela, suas parceiras aumentem preços de dispositivos se o valor dos insumos passar por aumento.

Problema da WD pode respingar na Apple (Imagem: Imagem: Sahej Brar/Unsplash)

Por mais contraditório que possa parecer, apesar de a Apple ser fortemente dependente da Western Digital graças à Toshiba, é uma das que poderá sofrer menos impacto no curto prazo. Isso porque a companhia fecha contratos de longo prazo e com muita antecedência. Assim, por exemplo, as memórias para os iPhone 14 já podem estar garantidas a um preço já negociado.

Para o futuro, porém, é possível que os insumos passem a custar mais para a Maçã. E aí restará saber se Tim Cook conseguirá equalizar o orçamento dos dispositivos com o atual preço de varejo, ou se isto afetará a precificação dos smartphones.

Em todo caso, a análise da TrendForce é uma projeção. A Western Digital não informou se aumentará seus preços para suas clientes. Mas como essa é uma negociação de empresa para empresa, não é provável que os termos, caso mudem, sejam amplamente divulgados publicamente.

Fonte: The Verge, 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.