Celular com 64 GB: 5 motivos para comprar

Por Victor Carvalho | Editado por Wallace Moté | 16 de Julho de 2021 às 09h20
Divulgação/Apple

Celulares têm se tornado cada vez mais e mais poderosos nos últimos anos. Em apenas uma década avançamos muito em relação à tecnologia móvel: as telas ficaram maiores, aplicativos começaram a tomar mais espaço e, com isso, o armazenamento mínimo aceitável mais que quadruplicou.

Saltamos de 8 GB para 64 GB em pouco tempo, mas smartphones com muito mais memória já se tornaram padrão, superando facilmente a barreira dos 128 GB e atingindo 256 GB, 512 GB e até mesmo 1 TB em celulares extremamente caros.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Pelo crescimento e popularização de celulares com 128 GB de armazenamento ou mais, modelos de 64 GB começaram a se tornar mais interessantes por uma série de fatores, e por isso nós do Canaltech resolvemos separar 5 motivos pelos quais smartphones com tal quantidade de memória interna ainda valem a pena.

1. Preço

Motorola Moto G10 é um bom exemplo de como celulares com 64 GB estão cada vez mais atrativos (Imagem: Ivo/Canaltech)

O grande destaque e o principal atrativo para usuários que compram celulares de 64 GB está no custo-benefício. Enquanto smartphones de 128 GB custam naturalmente mais pelo armazenamento maior, opções com 64 GB se tornam interessantes por ainda conseguir entregar uma boa quantidade de memória para a grande maioria das pessoas, mas sem precisar gastar muito com isso.

Para smartphones naturalmente caros, como os dispositivos da Apple, versões com 64 GB se tornam mais interessantes pelo preço menor e o ótimo gerenciamento de memória do iOS, que mantém fotos e arquivos na nuvem depois de algumas semanas. Além disso, celulares como o iPhone XR e iPhone 11 de 64 GB têm se tornados os queridinhos para quem busca o primeiro iPhone justo pelo valor mais interessante.

Já no mundo Android a busca é ainda maior graças aos preços extremamente variados, com dezenas de opções diferentes de smartphones de entrada, intermediários e até topos de linha com valor muito interessante para os brasileiros.

2. O uso do cartão de memória 

Cartão de memória pode ser a salvação de quem busca aumentar a memória do celular gastando pouco (Imagem: Reprodução/Sandisk)

Enquanto usuários de iPhone precisam se contentar com o limite de 64 GB nos smartphones, a grande maioria dos dispositivos Android conta com a possibilidade de expandir a memória interna com o uso de um armazenamento externo: o bom e velho cartão de memória.

Normalmente muito mais barato e prático, a aquisição de um cartão de memória de apenas 64 GB acaba sendo suficiente para dobrar o armazenamento do smartphone e permitir que arquivos mais pesados sejam alocados na memória externa, deixando o espaço interno livre para seus apps e jogos.

3. A salvação do armazenamento em nuvem

Seja iPhone ou Android, uma coisa que você poderá ter garantia de funcionamento em qualquer sistema operacional é o armazenamento em nuvem, permitindo que todas as suas fotos, músicas, vídeos e arquivos pessoais estejam disponíveis a qualquer hora e em qualquer lugar. Desde que você tenha conexão com a internet, é claro.

Para isso, usuários de iPhone precisam de memória suficiente no iCloud para subir fotos automaticamente (50 GB por R$ 3,50 ao mês) e usuários do Android, agora que o Google Fotos não permite o armazenamento ilimitado na nuvem, podem optar em adquirir o plano de 100 GB do Google One por R$ 6,99 ao mês.

Além das plataformas proprietárias da Apple e Google citadas acima, usuários de todos os sistemas ainda podem optar por armazenamentos alternativos como o Mega, o OneDrive da Microsoft e o Dropbox.

4. Para quem busca o minimalismo digital

Fuja das distrações e aproveite para gastar menos com um celular (Imagem: Tyler Lastovich/Unsplash)

Estamos vivendo os dias cada vez mais conectados, atentos ao mundo ao nosso redor e ávidos por atenção, com notificações, avisos sonoros e smartphones zumbindo a todo momento, mas um celular com armazenamento mais limitado quase que te obriga a manter um ritmo mais simples.

Aliando isso a dispositivos mais compactos, como o iPhone 12 mini ou iPhone SE (2020), você tem celulares ainda muito potentes, capazes de durar anos, mas que não vão te distrair a todo momento com dezenas de aplicativos desnecessários.

5. Para quem precisa apenas do essencial

E por fim temos quem busca um celular barato por oferecer o melhor custo-benefício para o próprio bolso. O mercado de telefonia móvel teve os preços inflados pela pandemia, escassez de processadores e, claro, a inflação no Brasil, reduzindo o poder de compra de grande parcela dos consumidores em todo o país.

É nessa faixa que existe uma massiva quantidade de usuários que não se preocupam muito com armazenamento de seus dispositivos móveis, uma vez que a necessidade é básica e essencial: algumas redes sociais, tirar fotos, ver vídeos e escutar músicas. Para isso, smartphones com 64 GB ainda são capazes de entregar o desempenho e o armazenamento suficiente para a satisfação da enorme maioria.

Unindo os pontos acima é fácil entender o motivo de ainda ser possível defender a existência de celulares com 64 GB de armazenamento. E para garantir que você não gaste mais que o necessário, fique atento ao Canaltech Ofertas para sempre aproveitar o melhor preço.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.