PayPal compra startup de pagamentos mobile e vai lançar leitor de cartões

Por Redação | 02.03.2015 às 17:40

O dia está cheio para o PayPal e o mercado de pagamentos pelo celular. Em um combo de anúncios, a empresa revelou a ampliação de sua presença nesse segmento por meio da aquisição da Paydiant, uma startup americana voltada para tecnologias do tipo, e o lançamento, para o final do ano, de um leitor que vai permitir que os usuários acertem as contas tanto pelos smartphones quanto pelos meios convencionais, os cartões de crédito.

As notícias são aparentemente não-relacionadas, mas juntas, constituem um todo de fortes investimentos do PayPal no setor. Após uma parceria com a Samsung para incluir sistemas de pagamento por impressões digitais nos aparelhos da linha Galaxy, a ideia agora é levar essas mesmas funcionalidades para outros dispositivos – incluindo, e principalmente, os iPhones – e dar alternativas às soluções proprietárias de Apple, Google e outras.

Comprada por um valor não revelado oficialmente – mas que o site Recode estima estar na casa dos US$ 280 milhões – a Paydiant tem como clientes nomes como Subway, Capital One e Pulse, entre diversos outros. Ela trabalha ao lado de desenvolvedores de aplicativos e redes varejistas para a criação de aplicativos que permitam o pagamento pelo celular, utilizando o sistema da própria empresa. Além disso, presta assessoria em esforços de marketing e fidelização de clientes.

Com a iniciativa, o PayPal mergulha de cabeça na revolução e coloca seu nome ao lado de uma plataforma em ascensão para a conquista de novos clientes. Ao mesmo tempo, porém, quer colocar um pezinho no mercado tradicional de pagamentos para incentivar os usuários a fazerem o salto para o mundo mobile. Isso, acredita a empresa, será feito pelo seu leitor proprietário, que chegará a lojas da Nova Zelândia e Reino Unido ainda em 2015.

A ideia, aqui, é não apenas fazer com que os usuários utilizem mais os sistemas mobile e menos os cartões tradicionais, mas também, fazer com que aqueles que já aderiram ao Apple Pay e ao Google Wallet, por exemplo, passem a adotar a solução do próprio PayPal. Os lojistas pagam à empresa uma pequena taxa por transação – mas ficam isentos dela caso o método proprietário seja usado –, o que significa que a companhia ganha mesmo quando os concorrentes são os escolhidos.

Falando em concorrente, como lembrou o site Venture Beat, a iniciativa também vem para colocar o PayPal à frente da Square, uma empresa que também está investindo em soluções integradas para que os lojistas não precisem mais ter diversas máquinas no balcão. A empresa não revelou o preço do aparelho, mas confirmou que ele deve custar algo em torno de US$ 100 a US$ 200.

“Carteiras proprietárias”

O foco do PayPal, porém, vai muito além dos simples pagamentos no ponto de venda. Afirmando que, ao lado da Paydiant, deseja continuar “'reinventando' o mercado de mobile payment”, a empresa disse que quer intensificar o trabalho na direção de sistemas exclusivos para os clientes de certas marcas, de forma a incentivar a fidelização e a convergência dos clientes para o mundo dos smartphones e tablets.

Isso se dá por meio do que as empresas chamaram de carteiras proprietárias, ou seja, sistemas de pagamento exclusivos de certas companhias, e usados apenas para pagamento em lojas próprias. Imagine algo como os cartões de lojas de departamento, só que, claro, digital e com muito mais vantagens, e você conseguirá entender por cima o conceito que o PayPal deseja levar adiante aqui.

Entre as possibilidades que passam a serem oferecidas para os clientes a partir de agora estão sistemas que não estão ligados a bandeiras ou bancos específicos, um sistema de assistência e gerenciamento de risco, programas de fidelidade e descontos exclusivos para usuários das plataformas. O PayPal não revelou quais clientes embarcarão na iniciativa de começo, mas disse já ter alguns grandes nomes a seu lado nas novidades, que devem ser reveladas em detalhes no futuro próximo.