Nokia Lumia 630: um smartphone dual-chip básico, mas que cumpre o que promete

Por Pedro Cipoli

Um dos pontos interessantes do Windows Phone é que ele roda perfeitamente liso mesmo em configurações mais básicas. Por mais que ele seja um sistema que ainda carece de aplicativos, se comparado ao Android e iOS, é possível apresentar uma experiência de uso fluida sem ter que mirar nos modelos top de linha.

Hoje vamos conhecer o Nokia Lumia 630 dual-chip, modelo que entrega um bom desempenho para o usuário e é um dos primeiros modelos a trazer o Windows Phone 8.1 de fábrica, mas com uma câmera consideravelmente básica.

Design e tela

Um ponto que nos chamou a atenção no Lumia 630 é que ele perdeu as linhas arredondadas da versão anterior (presente no Lumia 920 e até mesmo no Lumia 520) em favor de linhas mais quadradas. Isso faz com que a "pegada" dele fique um pouco mais escorregadia – nada muito grave, mas algo que vale a pena mencionar. Ele é um pouco mais comprido também, adotando o formato 16:9 (resolução 854x480) como acontece com a maioria dos aparelhos Android.

Essa não é uma resolução ruim para uma tela de 4,5 polegadas, que conta também com a tecnologia ClearBlack Display da Nokia. Ela melhora bastante o contraste das imagens, e o painel IPS melhora os ângulos de visão, além de trazer um vidro com proteção Gorilla Glass 3. Considerando o preço do Lumia 630, é uma tela e tanto, um ponto que a Nokia não costuma economizar mesmo em seus modelos mais básicos.

Nokia Lumia 630

Nokia Lumia 630

Nokia Lumia 630

Ele é um modelo simples que não passa a impressão de ser barato, um ponto que a Nokia costuma acertar mesmo em seus modelos mais básicos. Ele tem 9,2 mm de espessura e pesa 134 gramas, ideal para quem costuma utilizar o smartphone com apenas uma das mãos. O plástico utilizado no Lumia 630 também é um pouco mais "rugoso", dando mais firmeza na pegada e compensando o formato mais quadradão do modelo.

Configuração

Enquanto mesmo os modelos mais avançados da geração anterior vinham com processadores dual-core, o Lumia 630, até então um dos mais básicos, já é equipado com um chip Snapdragon 400 da Qualcomm. Ele vem com quatro núcleos rodando a 1,2 GHz, 512 MB de memória RAM e GPU Adreno 305, configuração mais do que suficiente para rodar o Windows Phone 8.1 e grande parte dos apps da Windows Store sem problemas.

Não entendemos a decisão da Nokia em colocar somente 512 MB de memória RAM, já que alguns apps simplesmente não podem ser instalados em aparelhos que não tenham pelo menos 1 GB (quer dizer, do jeito "convencional", já que há versões com patches). Provavelmente é uma questão de segmentação de mercado, já que dobrar os 512 MB pouco aumentaria o custo de fabricação do modelo.

A memória interna é de 8 GB, algo característico de modelos básicos da Nokia, mas o usuário pode expandir esse espaço para mais 128 GB com um cartão micro SD. Ou seja, dificilmente faltará espaço para os arquivos do usuário, fazendo do Lumia 630, pelo menos nesse quesito, um modelo mais interessante até do que os tops de linha, já que eles não trazem suporte para cartões micro SD e oferecem, no máximo, 64 GB de memória interna, mas geralmente não passam de 32 GB.

Câmera

Um ponto que nos deixou tristes é a ausência de uma câmera frontal. Mesmo uma VGA já serviria para quebrar o galho de vez em quando, já que poderia ser utilizada em apps VoIP como o Skype. Temos então a câmera traseira, sem flash, sensor PureView, lentes Carl Zeiss ou qualquer outro recurso presente nas linhas mais avançadas da Nokia. Apenas uma de 5 megapixels capaz de gravar vídeos em 720p com alguma qualidade.

Nokia Lumia 630

Em nossos testes ela lembrou bastante a câmera traseira do Moto G da Motorola: o suficiente para fotos casuais, apenas.

Nokia Lumia 630

Com alguma paciência, é possível capturar momentos com qualidade média, mas esta é uma câmera que depende bastante das condições de iluminação ambiente.

Nokia Lumia 630

De qualquer forma, esperávamos um pouco mais. A Nokia se destaca em relação aos concorrentes justamente devido à câmera, e o Lumia 630 tem uma qualidade apenas um pouco melhor do que a do Lumia 520, que custa quase a metade do preço.

Nokia Lumia 630

Windows Phone 8.1

O Lumia 630 é um dos primeiros aparelhos a chegar ao mercado com o Windows Phone 8.1 de fábrica, um fato consideravelmente importante, já que a geração anterior ainda não foi atualizada, mesmo os modelos mais avançados. Os principais recursos que nos chamaram a atenção foram a central de notificações, ainda em seus primeiros estágios se comparada ao Android, e a assistente pessoal Cortana.

Porém, para nós a mudança é tão pequena quanto a do Windows 8 para o 8.1. Há alguns detalhes aqui e ali, mas nada que realmente seja muito diferente do que o usuário já tem hoje com o Windows Phone 8. Ou seja: ainda que seja legal por parte da Nokia (ou Microsoft) trazer ao mercado seus modelos básicos com a versão mais nova, não é um fator que consideramos decisivo na hora de decidir entre ele e um outro aparelho.

Bateria e extras

A bateria, assim como a tampa traseira, é removível e tem capacidade de 1830 mAh, o que em nossos testes acabau sendo insuficiente para um dia inteiro de uso moderado. Um ponto que nos chamou a atenção foi o grande consumo de energia quando a tela está ligada, mesmo se compararmos com modelos tops de linha com telas Full HD. Para quem costuma jogar com frequência, vale destacar que ele durou entre 4 e 5 horas fora da tomada, um valor abaixo do esperado para um smartphone.

Nokia Lumia 630

Como conectividade temos o suporte para dois chips do tipo micro SIM, um deles habilitado para redes 3G quadriband, Wifi padrão B, G e N, Bluetooth 4.0 com A2DP, GPS com A-GPS e GLONASS, rádio FM, televisão digital e DLNA. Sentimos falta somente do NFC, mas de qualquer forma é um conjunto bastante completo.

Conclusão

O Lumia 630 dual-chip da Nokia chegou ao Brasil com o preço sugerido de R$ 699 disponível nas cores preta e branca. Este é um bom valor pelos recursos que ele oferece, mas que traz algumas falhas que podem espantar alguns usuários. Como a linha Lumia virou sinônimo de smartphones com Windows Phone e câmeras de alto nível, esse é um quesito que nos desapontou nele, ainda mais por não contar com um botão dedicado para ela, como é comum em modelos da Nokia. Juntando isso com os 512 MB de memória RAM, temos as principais falhas dele.

Nokia Lumia 630

Porém, não podemos deixar de levar em consideração que ele é um aparelho relativamente barato, trazendo uma tela de boa qualidade e suporte para até 128 GB de expansão via cartão micro SD. Esses são dois pontos raros nessa faixa de preços mesmo considerando outras plataformas, como o Android, e que podem ser um diferencial importante na hora de optar por comprá-lo.

Vantagens

  • Bons recursos pelo valor investido
  • Tela de qualidade, considerando o preço
  • Desempenho suficiente para a maioria das tarefas
  • Vem com televisão digital e rádio FM
  • Dual-chip

Desvantagens

  • A câmera traseira bem que poderia ser melhor
  • Sem botão dedicado para a câmera
  • Não há câmera frontal
  • Sem NFC

*Agradecimento à Cissa Magazine pelo fornecimento do aparelho para testes

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.